Governo avisa que decreto sobre emprego do Exército para impor ordem e lei em Brasília pode ser revogado nesta quinta-feira

Ao lado,banner que circula nas redes sociais.

O decreto sobre emprego das Forças Armadas em Brasília permite o emprego na segurança entre 24 a 31 de maio;

A PM do governador socialista Rodrigo Rollemberg não "conseguiu" conter as ações de guerrilha urbana empreendidas por bandidos mascarados que participaram das manifestações da CUT e Força Sindical, aparelhos do PT e do SDD, apoiados por Partidos satélites de esquerda (PCdoB, Psol, Rede, PSTU e PCO), mais movimentos como MST, UNE e MTST, que incendiaram ministérios, inclusive o da Cultura.

As manifestações das corporações do serviço público descontentes com a reforma tributária e de sindicalistas que não querem perder o imposto sindical na reforma trabalhista, resultaram em motim armado, mas por trás de tudo está o interesse dos políticos que querem escapar da Lava Jato, Lula em primeiro plano, e por isto tentam um golpe parlamentar apoiado pelas ruas, que começaria pelo caos social e a derrubada dogovberno.

Diante da iminente invasão do Congressoo presidente da Câmara pediu ao governo o emprego da Força Nacional da Segurança, mas o governo só dispunha de 100 homens dessas tropas e decidiu agir com o Exército.

9 comentários:

Anônimo disse...

Nenhuma irregularidade. A medida é prevista na Constituição. Essas depredações desses vândalos mercenários tem que acabar. Manifestação não comporta essa bagunça feita para criar instabilidade social. O Exército só deve voltar aos quartéis quando a ordem for restaurada.

Anônimo disse...

FICA EB.

CONTRA ESSES LIXOS BADERNEIROS.

Unknown disse...

Ou são bundas moles ou trabalham em causa própria!!!

Anônimo disse...

Sinceramente nao revogaria,pois os abutres estao soltos em Brasilia.A nao ser que deponha este governador de Brasilia incompetente.Ficou pessima para imagem da PM de Brasilia,pois e considerada a melhor e bem paga do pais.As centrais sindicais ,senadores,deputados que incentivaram a destruiçao nao serao processados?

Anônimo disse...

Foi "desautorizado" pelo Comandante do Exercito, acabou.

Anônimo disse...


Pois é: e por onde andará o tal de stédile do mst que elle conclamou a colocar "seu exército" nas ruas?? Não se fala mais nelle!! Estava em Brasilia, ontem?? Não li nada sobre o tal "patriotta". Interessante -- sumiu!!! Porque será????

Anônimo disse...

polibio

essa de chamar a FNS é piada, um amontoado de brigadianos querendo ganhar mais um extra

é caso de exército e pronto, chega de faz de conta com esses marginais com interesses politicos da turma do pt lula e dilma

o presidente é temer e ele tem que por ordem na casa e pronto

a responsabilidade é dele e de mais ninguem, até que estiver no comando da nação

e chega de conversa mole, algemas e prisão para quem não cumpre a lei e não respeita as instituições

Anônimo disse...

Foi só chamar o Exército que o bando de vândalos da CUT e do MST colocaram o rabo no meio das pernas e saíram rapidinho. Pena que o Exército não estava lá quando começou a baderna. Teria evitado muitas depredações.

Anônimo disse...

O Globo News noticiou que os generais 4 estrelas não engoliram esta ação do Temer. Mandaram recado para o Planalto e o Temer rapidinho voltou atrás.
O Temer, covardemente, botou na conta do Rodrigo Maia que este tinha solicitado o exercito, Rodrigo Maia de pronto protestou, disse que não pediu o exercito mais sim a Força Nacional.
E o pior da trapalhada é que ficou explícito que o Temer quer se proteger usando o exército.
Neste tipo de golpe o exercito não cai mais, ficou com a pecha do golpe de 64, que na verdade foi dos políticos golpistas da UDN. Termer é golpista, teve que desfazer a trapalhada, mais ficou muito mal para ele.
Qualquer bobo saber que em manifestações públicas sempre têm infiltrados, treinados para promover vandalismo par desqualificar os movimentos sociais.
Hoje também foi levantada a questão que na verdade foram fazer queima de arquivos (documentos) em 2 ministérios, a mando de quem não se sabe.