Governo avisa que decreto sobre emprego do Exército para impor ordem e lei em Brasília pode ser revogado nesta quinta-feira

Ao lado,banner que circula nas redes sociais.

O decreto sobre emprego das Forças Armadas em Brasília permite o emprego na segurança entre 24 a 31 de maio;

A PM do governador socialista Rodrigo Rollemberg não "conseguiu" conter as ações de guerrilha urbana empreendidas por bandidos mascarados que participaram das manifestações da CUT e Força Sindical, aparelhos do PT e do SDD, apoiados por Partidos satélites de esquerda (PCdoB, Psol, Rede, PSTU e PCO), mais movimentos como MST, UNE e MTST, que incendiaram ministérios, inclusive o da Cultura.

As manifestações das corporações do serviço público descontentes com a reforma tributária e de sindicalistas que não querem perder o imposto sindical na reforma trabalhista, resultaram em motim armado, mas por trás de tudo está o interesse dos políticos que querem escapar da Lava Jato, Lula em primeiro plano, e por isto tentam um golpe parlamentar apoiado pelas ruas, que começaria pelo caos social e a derrubada dogovberno.

Diante da iminente invasão do Congressoo presidente da Câmara pediu ao governo o emprego da Força Nacional da Segurança, mas o governo só dispunha de 100 homens dessas tropas e decidiu agir com o Exército.