Fernão Lara Mesquia, Estadão - Por um fio

CLIQUE AQUI para ler, também, "A imprevidência brasileira", editorial do Estadão.

Neste artigo, intitulado "Por um fio!", Fernão Lara Mesquita diz que a era das manifestações sem povo e contra o povo vai chegando melancolicamente ao fim.

Leia tudo:

Só em Brasilia, onde o marajalato ameaçado de desmame não tem contra quem impor-se à força foram dispensadas as barricadas que, no resto do país, ilustraram com perfeição a nossa “luta de classes” pré-Queda do Muro: contribuídos x contribuintes; aposentados integrais x aposentados pela metade; barrantes x barrados; sindicalistas x trabalhadores. Foi uma desolação a tal “greve geral”. O dinheiro do imposto sindical ainda compra sindicalistas mas, definitivamente, não compra mais a massa dos compulsoriamente sindicalizados.

É uma situação única na História essa nossa. A “jabuticaba” das “jabuticabas”. Um lado ainda tenta mas já não cola. O outro lado só não cola porque não tenta.

CLIQUE AQUI para 

Um comentário:

Jean Valente disse...

A onda Azul se alastra!
A racionalidade, a lógica e a verdade está retornado às pessoas normais oprimidas.
Os idiotas úteis vermelhos cujos ganhos vem do suor e trabalho das pessoas decentes estão começando a contar seus dias.
Logo passarão a se ,chamar de coitadinhos, despossuídos, descamisados e outros epítetos pouco saudáveis, jogando a culpa, é claro, nos burgueses que trabalham e geram riqueza, e também nos "americanu".
Quando as pessoas normais e decentes resolvem fechar o ralo por onde escoa o dinheiro e as energias para alimentar as cigarras vermelhas, estas tendem a morrer de fome, pois não sabem trabalhar, nunca trabalharam.