Estes são os negócios (empresarial e político) da JBS no RS

A JBS opera no RS desde 2012. Naquele ano, assumiu os negócios da Doux Frangosul, Montenegro, que trabalha na área de frangos. Na época, um dos sócios da Doux era o atual presidente da Fiergs, Heitor Muller. Na mesma época, a JBS comprou o Banco Matone, transformando-o em Banco Original.

Atualmente, a JBS trabalha com a marca Seara e tem unidades fabris em oito municípios.

Em função da presença ativa no RS, Joelsey Batista investiu pesado em campanhas eleitorais de candidatos gaúchos.

Nas delações feitas pela JBS, constam contribuições de campanha para estes deputados do RS, não contabilizadas:

Onyx Lorenzoni, DEM
Jerônimo Goergen, PP (Gorgen contabilizou tudo)
Alceu Moreira, PMDB
Paulo Ferreira, PT

A editora de Política de Zero Hora, Rosane Oliveira, também destacou colaborações declaradas para Ivo Sartori, Ana Amélia e Tarso Genro.


3 comentários:

Flavio Martins disse...

Poderiam publicar os nomes?

Anônimo disse...

Onix Lorenzoni do DEMOs, o "moralista de plantão" ou de "cuecas" já confessou o crime de caixa 2, ou seja, que recebeu $ por fora da JBS, vai renunciar?

Luis Eduardo Primaz disse...

Políbio, o Sr. Heitor Muller (atual presidente da FIERGS) não tinha participação no Grupe Doux quando a JBS arrendou as unidades da Doux Frangosul em 2012. O presidente da FIERGS vendeu sua participação na antiga Frangosul para os franceses da Doux no início dos anos 2000.