Em dia de protestos de rua, Gilmar Mendes resulta confrontado no STF por Rodrigo Janot

A foto ao lado é da manifestação de ontem a noite diante do IDP de SP, Faculdade de Direito que pertence à família de Mendes.

O ministro do STF, Gilmar Mendes, STF, abriu a semana sob fogo cerrado dp Grupoo de Ativistas Independentes de Movimentos, SP, e também da Procuradoria Geral da República, que enviou pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que o ministro Gilmar Mendes deixe a relatoria de um habeas corpus no qual concedeu liberdade ao empresário Eike Batista. Além disso, Janot quer a anulação de todas as decisões sobre o habeas corpus, incluindo a que mandou soltar o empresário.

O pedido de Janot foi enviado à presidente da Corte, Cármen Lúcia, para ser pautada em plenário e ser decidido pelos 11 ministros.

O procurador alega que Gilmar Mendes não poderia atuar na causa porque sua esposa, Guiomar Mendes, trabalha no escritório de advocacia de Sérgio Bermudes, que defende Eike Batista.

À GloboNews, o ministro Gilmar Mendes argumentou que não foi solicitado o impedimento dele pela Procuradoria-Geral da República quando ele indeferiu a solicitação da defesa do empresário Eike Batista de extensão do habeas corpus concedido ao empresário Flávio Godinho. Além disso, o ministro disse que o escritório onde sua esposa trabalha não solicitou o habeas corpus e que, portanto, não há impedimento no caso.

CLIQUE AQUI para ler, também, "Pedido de Janot pode rachar STF", hélio Gurovitz, G1.