Doria volta a atacar Lula: "Se a maioria, silenciosa ficar, a minoria ruidosa vai ganhar. Não pode!"

O prefeito de São Paulo João Doria Jr recebeu homenagem em Nova York nessa terça-feira, com salão lotado com quase 1.000 convidados. O prefeito pretendia fazer um discurso centrado em sua gestão em São Paulo, mas fugiu do script para atacar os governos petistas e se apresentar como o seu antídoto.

"Eu vou continuar a ser o João trabalhador. Eu vou continuar a ser uma pessoa que vai trabalhar e que vai se dedicar exatamente de forma oposta àquilo que Luiz Inácio Lula da Silva e seus asseclas nunca fizeram nos últimos anos no Brasil: trabalhar, trabalhar, trabalhar", afirmou o prefeito, no momento mais aplaudido do discurso em que agradeceu o prêmio "Personalidade do Ano", entregue pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos em Nova York.

"Vocês não podem se calar", disse Doria à plateia de homens de smoking e mulheres de vestidos longos, formada por empresários e executivos. "Essa maioria, se silenciosa ficar, a minoria ruidosa vai ganhar. E não pode. Não pode. Porque ninguém quer para os seus filhos e para os seus netos aquele mundo que estava previsto até um ano atrás."


O tucano afirmou que os petistas "quase destruíram" o Brasil e sua economia e disse que será uma voz para "lembrar essas mazelas". Em nenhum momento Doria fez referência explícita à disputa presidencial ou à sua potencial candidatura, mas toda a simbologia do evento apontava nessa direção.

15 comentários:

Anônimo disse...

esse é mais um embusteiro, mais do mesmo psdb.

Anônimo disse...

Infelizmente não podemos ter esperança. A única candidatura que parece viável, apesar de ser socialista fabiano, mas que poderia trazer algo novo..., se eleita, virá com todo lixo, já cansado de roubar, dos tucanos.

Anônimo disse...

FAZER UMA CAMPANHA PRESIDENCIAL ATACANDO O PT É POUCO!

Isso serviu para a eleição da Prefeitura de São Paulo.

Lula tem a chave do nordeste e da região norte.

Uma polarização entre Lula e Dória, pode fazer com que ambos se degastem, facilitando um terceiro candidato!

Anônimo disse...

Uma andorinha não faz verão.
Ainda mais com a Corja de desgraçados que virão pendurados.

Anônimo disse...


Abaixo os petralhas bolivarianos, traidores da Pátria Brasil.

Anônimo disse...

Está muito correto o Prefeito de São Paulo, JOÃO DORIA, em sua análise política . Aliás, é um dos poucos políticos que têm se destacado, nos últimos tempos .!!!

Anônimo disse...

Bolsonaro foi acusado por indisciplina e deslealdade no Exército:

Ex-capitão chegou a ser considerado culpado por um Conselho de Justificação formado por três coronéis, mas foi absolvido pelo STM

Zero Hora. 15/05/2017.Rafaela Martins/Agencia RBS

Bolsonaro foi acusado por indisciplina e deslealdade no Exército

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) admitiu, em 1987, que cometeu atos de indisciplina e deslealdade em relação aos superiores no Exército. Conforme reportagem do jornal Folha de S.Paulo, que obteve a documentação com os dados da Superior Tribunal Militar (SMT), o então capitão foi acusado por cinco irregularidades e chegou a ser considerado culpado por um Conselho de Justificação formado por três coronéis, em uma espécie de inquérito.

O caso, no entanto, chegou ao STM, onde Bolsonaro foi absolvido por oito votos a quatro. Bolsonaro foi julgado por ter escrito um artigo à Revista Veja, em 1986, sem pedir autorização dos superiores. No texto, ele defendia o aumento dos salários pagos às tropas. O ex-capitão também foi investigado por ter afirmado à mesma publicação, meses depois, que ele e outro oficial planejavam um ataque a unidade militares do Rio com bombas-relógio.

Em reportagem publicada pela Veja, na época, Bolsonaro explicava como se constrói uma bomba-relógio e dizia que o plano envolvia apenas "a explosão de algumas espoletas". A revista também divulgou esboços atribuídos ao ex-capitão.

Ao Conselho de Justificação e ao STM, Bolsonaro negou ter planejado qualquer ataque com bombas e citou dois testes grafotécnicos que resultaram inconclusos. Uma perícia da Polícia Federal (PF), entretanto, apontou que as anotações sobre o plano com bombas pertenciam a ele. A conclusão serviu como base para a decisão que o considerou culpado no Conselho de Justificação. No STM, o ex-capitão reconheceu a autoria do artigo, mas negou o plano envolvendo as bombas. Ele foi absolvido meses depois.

Os documentos obtidos pela Folha apontam que o deputado federal chegou a ser preso por 15 dias por "ter ferido a ética, gerando clima de inquietação na organização militar". Em 1987, Bolsonaro assinou um documento em que reconheceu ter cometido uma "transgressão disciplinar".

Procurada, a assessoria de imprensa de Bolsonaro afirmou que a reportagem "é idiota e imbecil" e perguntou "quem estava pagando" pela matéria. O assessor do deputado ainda disse que a "pauta é uma merda" e não quis anotar o telefone de contato do repórter para dar a versão do deputado sobre o tema. O parlamentar não se manifestou.

PS: Se Lula e Dilma, que não foram militares e tiveram a ficha montada pelo Regime militar a direita diz horrores, o que dirão de Bolsonaro, cuja dados são "oficiais" do STM? Subversivo? Vagabundo? Criminoso? psicopata? Bolivariano? Sindicalista? Garimpeiro?

Anônimo disse...

Bolsonaro foi acusado por indisciplina e deslealdade no Exército:

Ex-capitão chegou a ser considerado culpado por um Conselho de Justificação formado por três coronéis, mas foi absolvido pelo STM

Zero Hora. 15/05/2017.Rafaela Martins/Agencia RBS

Bolsonaro foi acusado por indisciplina e deslealdade no Exército

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) admitiu, em 1987, que cometeu atos de indisciplina e deslealdade em relação aos superiores no Exército. Conforme reportagem do jornal Folha de S.Paulo, que obteve a documentação com os dados da Superior Tribunal Militar (SMT), o então capitão foi acusado por cinco irregularidades e chegou a ser considerado culpado por um Conselho de Justificação formado por três coronéis, em uma espécie de inquérito.

O caso, no entanto, chegou ao STM, onde Bolsonaro foi absolvido por oito votos a quatro. Bolsonaro foi julgado por ter escrito um artigo à Revista Veja, em 1986, sem pedir autorização dos superiores. No texto, ele defendia o aumento dos salários pagos às tropas. O ex-capitão também foi investigado por ter afirmado à mesma publicação, meses depois, que ele e outro oficial planejavam um ataque a unidade militares do Rio com bombas-relógio.

Em reportagem publicada pela Veja, na época, Bolsonaro explicava como se constrói uma bomba-relógio e dizia que o plano envolvia apenas "a explosão de algumas espoletas". A revista também divulgou esboços atribuídos ao ex-capitão.

Ao Conselho de Justificação e ao STM, Bolsonaro negou ter planejado qualquer ataque com bombas e citou dois testes grafotécnicos que resultaram inconclusos. Uma perícia da Polícia Federal (PF), entretanto, apontou que as anotações sobre o plano com bombas pertenciam a ele. A conclusão serviu como base para a decisão que o considerou culpado no Conselho de Justificação. No STM, o ex-capitão reconheceu a autoria do artigo, mas negou o plano envolvendo as bombas. Ele foi absolvido meses depois.

Os documentos obtidos pela Folha apontam que o deputado federal chegou a ser preso por 15 dias por "ter ferido a ética, gerando clima de inquietação na organização militar". Em 1987, Bolsonaro assinou um documento em que reconheceu ter cometido uma "transgressão disciplinar".

Procurada, a assessoria de imprensa de Bolsonaro afirmou que a reportagem "é idiota e imbecil" e perguntou "quem estava pagando" pela matéria. O assessor do deputado ainda disse que a "pauta é uma merda" e não quis anotar o telefone de contato do repórter para dar a versão do deputado sobre o tema. O parlamentar não se manifestou.

PS: Se Lula e Dilma, que não foram militares e tiveram a ficha montada pelo Regime militar a direita diz horrores, o que dirão de Bolsonaro, cuja dados são "oficiais" do STM? Subversivo? Vagabundo? Criminoso? psicopata? Bolivariano? Sindicalista? Garimpeiro?

Anônimo disse...

o doria disse tudo
doria 2018
vamos no novo, chega de gente arcaica na politica= politicos q estao anos e nada fizeram, vamos inovar- renovar
doria 2018

Anônimo disse...

Quando é que este piá irresponsável e inexperiente vai parar de falar besteiras e começar governar a cidade de São Paulo?
Por enquanto é apenas um excelente gari

Anônimo disse...

uiuiui...a bixa coxinha (pleonasmo)disse..Não pode não pode não pode uiuiu

Anônimo disse...

meu candidato

Anônimo disse...

PARABÉNS DORIA, FALOU EXATAMENTE A VERDADE, EXISTE UMA GRANDE MAIORIA DE PESSOAS DE BEM, DE DIREITA. E UMA MINORIA NOJENTA DE PORCOS COMUNISTAS, DE VERMES PETISTAS QUE GRITAM E HURRAM POIS ESTAO NA BEIRA DO ABISMO, VAMOS TODOS JUNTO DAR O EMPURRAOZINHO QUE FALTA E EXTERMINAR A AMEAÇA COMUNA DO NOSSO BRASIL

Anônimo disse...

Dória vai peticionar, junto ao STF para cassar a candidatura do Bolsonaro, sob motivo do elemento estar com a "ficha suja".

Anônimo disse...

Esse Dória já está enchendo o saco! Há vai trabalhar, mostrar serviço.