Depois do linchamento moral indevido contra Reinaldo Azevedo, Fachin põe sob sigilo grampos do Caso Joesley

Depois do constrangimentio público a que submeteu o jornalista Reinaldo Azevedo, que acabou sendo obrigado a pedir demissão de Veja por causa de um diálogo que não tinha nada a ver com a investigação em si, o ministro Edson Fachin resolveu colocar sob sigilo todos os grampos feitos no âmbito do Caso Joesley.

O ministro não quis aproveitar o recuo tardio para pedir desculpas ao jornalista.