Deflação das commodities metálicas foi determinante para o novo recuo do IC-Br em abril

O IC-Br, indicador que mensura o preço das commodities em reais, recuou 1,03% em abril, segundo os dados divulgados ontem pelo Banco Central. 

A menor queda em relação a março, quando o indicador apresentou queda de 2,32%, foi explicada pela alta dos preços das commodities energéticas e pela menor deflação das agrícolas. O índice referente às commodities energéticas reverteu a queda de 4,15% observada em março, avançando 3,85% no mês passado. Já a cotação das commodities agrícolas passou de uma queda de 2,89% para outra de 1,22%. No sentido oposto, o grupo de commodities metálicas passou de uma alta de 0,83% para uma deflação de 2,87%, refletindo a queda do preço do minério de ferro observada no período. 

O indicador acumulou queda de 5,99% nos últimos doze meses e de 6,69% em 2017, confirmando cenário benigno para inflação deste ano. 

Um comentário:

Dr. FAÇANHA disse...

Esse recuo, para o Brasil é trágico.