Associação de Peritos diz que gravação de Joesley não é confiável sem exame do gravador

O perito Ricardo Molina também acha que a entrega do gravador é importante, mas avisou que o equipamento usado por Joesley Batista é "vagabundo", chinês, custa R$ 36,00 e não vai ajudar muito na identificação de todos os "eventos", porque alguns deles estão ligados a cortes. 

O presidente da Associação Brasileira de Criminalística (ABC), Bruno Telles, afirmou nesta terça-feira em entrevista ao G1 que não é possível realizar uma perícia "confiável" e "minimamente conclusiva" em um áudio sem que o equipamento utilizado para gravá-lo seja analisado.

Para o presidente da ABC, que reúne peritos oficiais de todo o país, qualquer análise feita sem que o gravador tenha sido periciado não pode ser levada em conta até que a Polícia Federal conclua a perícia oficial. A PF pediu os gravadores.

A Rede Globo fala cada vez mais sozinha.