Análise - Perversa transferência de renda dos mais pobres para os servidores públicos mais ricos

Os autores do artigo são José Márcio Camargo[i], André Gamerman[ii] e Rodrigo Adão[iii]. O artigo foi publicado pelo jornal O Globo.

O déficit da previdência dos funcionários públicos (RPPS) federais foi o maior programa de transferência de renda do governo federal entre 2001 e 2015. Neste período, R$ 1,3 trilhão (em valores correntes) de impostos pagos por todos os brasileiros foram transferidos para pagar o déficit financeiro das aposentadorias dos funcionários públicos federais. Isto significa um valor médio de R$ 1,3 milhão para cada um dos servidores federais aposentados ou R$ 86.000 por ano.

Esta enorme transferência de renda foi o custo para os cofres públicos dos 980 mil servidores federais inativos (0,5% da população do país). Ela foi maior que o crescente déficit na previdência dos 29 milhões de aposentados do setor privado, cujo déficit acumulado no período foi de R$ 936 bilhões. Também superou qualquer outro item do orçamento federal no período, exceto o pagamento de juros. Superou os gastos em saúde, e foi 50% superior a todos os gastos com educação. O governo gastou 3 vezes mais com essas transferências para os servidores aposentados do RPPS do que para os 4,5 milhões de idosos e deficientes que recebem o BPC e 5 vezes mais do que para as 13,5 milhões de famílias inscritas no bolsa família.

Em 2016, o valor mensal médio do benefício pago aos servidores públicos aposentados foi de aproximadamente R$ 9.000. Em média, os servidores públicos aposentados estão entre os 2% mais ricos do país. Em outras palavras, têm renda superior a 98% da população. Servidores inativos do judiciário e legislativo possuem privilégios ainda maiores, obtendo benefícios que superam a renda de 99,5% dos brasileiros.

CLIQUE AQUI para ler mais.

18 comentários:

Anônimo disse...

As vezes que viajo para fora do pais tenho a impressao que a maioria dos turistas com quem converso sao funcionarios publicos. Raramente ve-se empregados da area privada indo a Italia, US ou demais paises de primeiro mundo.

Ou reduz-se o tamanho do estado ou o brasil acaba. Neo-liberalismo sim, ainda que vermelhos tem pavor a essa palavra.

Anônimo disse...

O RS está nessa faz tempo.............


Tarifaço para manter a "casta" superior...........

Anônimo disse...

Os concurseiros irão dizer que merecem por estudarem. Logo, todos da livre iniciativa, os que realmente pagam impostos, são analfabetos e não tem profissão definida.

Anônimo disse...

A parte dos funcionários públicos está correta.
O problema é que a reforma acaba com a aposentadoria da iniciativa privada, aí não tem como defender.

Anônimo disse...

A parte dos funcionários públicos está correta.
O problema é que a reforma acaba com a aposentadoria da iniciativa privada, aí não tem como defender.

Anônimo disse...

Mais uma matéria tendenciosa pra despertar ainda mais a ira da população contra os funcionários públicos como se estes fossem os responsáveis diretos pela crise.

Anônimo disse...

Cpncordo plenamente em reduzir drasticamente os privilégios do Setor Publico. Mas deve ficar claro que todos pagam a absurda carga tributária imposta ao país, inclusive os funcionario s públicos.

Anônimo disse...

Esses 'analistas' precisam estudar mais.
Militares não contribuem para o sistema previdenciário. Então não os ponham na conta do regime próprio de previdência.
O servidor publico, esse de quem eles falam, paga pela sua aposentadoria durante 30 (trinta) anos, ao menos.
O que o governo faz é apenas DEVOLVER o que o sevidor jà adiantou a esse mesmo governo. Não é gasto como eles dizem e não é transferência de renda, pois é DEVOLUÇÃO.
Analistas desse naipe parecem estar no mesmo nível intelectual do sr. Luis Ignácio, que não sabe como ler um documento. Ps.: a leitura se faz de cima pata baixo e da esquerda para a direito. Aprende-se essa lição no primeiro ano do ensino fundamental.

Anônimo disse...

"Os concurseiros irão dizer que merecem por estudarem. Logo, todos da livre iniciativa, os que realmente pagam impostos, são analfabetos e não tem profissão definida."


O ódio contra FP é tamanho que na cabeça de bagre de certos recalcados e manipulados pela mídia tendenciosa, demagoga e sensacionalista, FP não paga nem imposto. Eta gente rancorosa e cínica!

Anônimo disse...

ESSA TURMA AGE IGUAL MAFIA...O TAL CORPORATIVISMO...QUE MESMO SABENDO QUE O VALOR QUE RECEBEM DE APOSENTADORIA É FORA DA REALIDADE OU SEJA, DITAS LEIS FEITAS POR SEUS PARES NÃO TEM VALOR ÉTICO, MORAL LEGAL, E DE REALIDADE FINANCEIRA...

ATIVOS OU INATIVOS SÃO OS PRINCIPAIS CONVIDADOS DOS PROGRAMAS DE RADIO E TV...FAZEM SEMPRE O PROSELITISMO, DISCURSOS E MAIS DISCURSOS VAZIOS...POIS NUNCA PRODUZIRAM NADA...VIVEM UMA VIDA LABORAL IRREAL.. MAS COM O DINHEIRO DA INICIATIVA PRIVADA...

Anônimo disse...

Ou você é um servidor público que recebe propina e que viaja seguido para fora do país ou é um dos empresários que dá propina pra políticos. Pois afirma que só viaja pra fora do país servidor público.

dinea disse...

Gostaria de saber se os funcionários públicos aceitariam que a previdencia deles fosse paga apenas por eles. O mesmo ocorreria com os funcionários do setor privado. Voces topam. A verdade é que esse país se tornou um país de pobres sustentando um casta de privilegiados. Más agora isso tem de acabar pois somos o RIO amanhã.

Unknown disse...

Brasil, país dos nobres e das corporações!!!
O resto é o resto... manipulado mal representado pelos milionários pelegos sindicais!!!

Anônimo disse...

Só lembrando, muitos dos autores do artigo apresentado contribuíram para este déficit, pois possuem parte de suas formações em Universidades Federais, cujos professores são SERVIDORES FEDERAIS. Então os autores poderiam devolver o dinheiro do contribuinte (que pagou para que eles estudassem) como forma de completar o que falta na previdência.
Hipocrisia pura: criticam o tamanho do Estado e os servidores mas formaram-se em Universidades Públicas...

Anônimo disse...

Pagam 11% durante 30 anos para receber 89% nos 30 seguintes, se não deixarem uma pensão por mais tempo. Mesmo incluindo a contrapartida que deveria ser paga pelo empregador, a conta não fecha.

Anônimo disse...

Ao FP das 10:51: FUNCIONÁRIO PÚBLICO NÃO PAGA IMPOSTOS porque o CAIXA de sua folha de pagamento é o mesmo que ARRECADA os impostos.

AGORA DÁ PRA ENTENDER?

Se não entendestes é porque o concurso que fizestes foi fajuto.




Anônimo disse...

Amigo anonimo 10:56, eu viajava (passado pois perdi o contrato) a servico. A passeio apenas consigo coisas como Praia Grande ou Santos.

Anônimo disse...



ESTÃO DESVIANDO O VERDADEIRO FOCO DOS ROMBOS DA PREVIDÊNCIA.

SÃO MAIS DE 70 BILHÕES DE SONEGADORES E DEVEDORES DA PREVIDÊNCIA Q NÃO PAGAM, MAS OS CANALHAS Q SE DIZEM SEREM CONHECEDOR DE FINANÇAS, NEM TOCAM NESTA PODRIDÃO.

OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS, NÃ0 TEM FUNDO DE GARANTIA, AUXILIO DESEMPREGO, E CONTINUAM PAGANDO OS MESMOS ÍNDICES P/ PREVIDÊNCIA COMO SE ATIVOS FOSSEM, SÓ Q A METADE FICA NO CAMINHO ANTES DE ENTRAR NO CAIXA DO IPE.

AQUI NESTE BLOG, JÁ FOI DIVULGADO, Q CHEGA A QUASE UM BILHÃO
Q VÁRIOS ÓRGÃOS DO RS ESTÃO DEVENDO, E A MUITO E MUITOS ANOS.

O MACACO QDO NÃO PODE COMER A BANANA, DIZ Q ESTÁ MUITO VERDE.