quinta-feira, 20 de abril de 2017

Superporto de Rio Grande entra em colapso com supersafra de soja

O superporto de Rio Grande entrou em colapso por conta da supersafra de grãos no RS. Há 5 dias navios de carga não conseguem atracar e caminhões não conseguem chegar a Rio Grande.

O RS colhe 32 a 33 milhões de toneladas de grãos, sendo 19 milhões apenas de soja.

22 comentários:

Unknown disse...

No Brasil é sempre assim... daí vem as perdas físicas e financeiras!!!

Nelson Pieka Rivaldo disse...

Ué, mas o governo anterior não construiu um porto novo e moderno? Ah é... foi em Cuba.

Anônimo disse...

E pensar que já tivemos uma otim A malha ferroviária.

Anônimo disse...

Se entrou em colapso só com a safra de soja é porque não é "super" coisa nenhuma!

Anônimo disse...

Porque não começam a distribuir a "super safra" pros pobres sem comida do Rio Grande do Sul? Tá na cara que vai tudo estragar nos silos.

Unknown disse...

Nóis é super incompetente!!!

Anônimo disse...

É por querer, agora vem eleições e começa tudo de novo . . .

Anônimo disse...

PRIMEIRA INFORMAÇÃO PARA NOVOS PIXULECOS.

Anônimo disse...

Padilha vem ai para dar um jeito.

Anônimo disse...

Se produtores ainda continuam a plantar é porque não é bem assim.

Anônimo disse...

VEM AI, O SUPER PORTO DO SUPER PORTO ?

Anônimo disse...

Esta noticia não está correta! Realmente temos centenas de caminhões graneleiros chegando em Rio Grande, mas não tem congestionamento, pois a cada cinco minutos são descarregados 30 caminhões nas moegas automáticas, e leva-se mais tempo para ver a qualidade da soja e a umidade que ela tem, em cada caminhão , do que para descarregar e liberar os caminhões! A produção de embarque por hora, aqui nos terminais Termasa e Tergrasa, fora outros como o terminal de Bianchini, é de 1.500 toneladas por hora, cada um! Basta não chover e não tem engarrafamento! Aqui em Rio Grande, como é tudo privatizado, a coisa anda!

Adriano disse...

Como gestor o estado falhou...

Anônimo disse...

Na parte que foi privatizada do porto de Rio Grande, onde estão os principais terminais de exportação, não há atrasos. Embora cheguem vários milhares de carretas rodoviárias por dia, várias centenas de vagões ferroviários e ainda barcaças carregadas através da hidrovia da Lagoa dos Patos, tudo está funcionando a contento, com grande agilidade e movimentação em todos os setores.

Anônimo disse...

O RS precisa de outro super porto para escoar toda a produção, a tendência é em menos de 10 anos dobrar a atual safra, imagina só. É urgente uma malha ferroviária, hidroviária e bons portos para valer apena.

Anônimo disse...

Anônimo das 15:32 h. Como gestor o Estado e o Brasil falharam porque não havia projeto de governo, somente projeto de poder em ambos. Simples

Anônimo disse...

O povão não tem do que reclamar do governo, afinal quem colocou essas nulidades e incompetentes lá, fomos nós. Na próxima eleição temos que acabar com o voto obrigatório, pois somos uma democracia. Vota quem quer. Também temos que tirar o FORO PRIVILEGIADO, esse virou autorização para os políticos roubarem o dinheiro público e se o processo deles for para o STF, esquece.

Anônimo disse...

Se está assim, então não é superporto

Anônimo disse...

Tragam os alemães para administrar o porto. A política não é adequada para gerir portos, muito menos o PT .!!!

Anônimo disse...

polibio, porque esses graos nao seguem via balsa pelo jacui e patos ate o porto?

Anônimo disse...

nunca foi super , eis ai uma falacia das maiores

Justiniano disse...


Aviso aos navegantes essa é MAIOR safra da história do RS, quem não conhece o setor que não alarde sua ignorância.

O preço sim que está muito baixo, nessa época no ano passado estava R$ 85,00 e agora com esse câmbio está R$ 55,00.

Estamos batendo a maior safra, os rendimentos em muitos casos superaram mais de 90 sacos/ha. O tempo colaborou na lavoura e até na colheita o tempo ficou seco por duas semanas.

O grande problema dos nossos portos é que não são cobertos e basta uma período de chuva para para toda carga de soja nos navio. Isto torna muito caro os fretes marítimos porque depende do tempo para atracar e embarcar.