quinta-feira, 13 de abril de 2017

Rodrigo Puggina, Zero Hora - Se gritar pega ladrão, não fica um meu irmão

- O autor é advogado em Porto Alegre.

A famosa e antiga música popular brasileira já dizia o que muitos órgãos de controle nunca viram antes; talvez os conselheiros do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro consigam explicar os motivos disso. Agora, tente esquecer-se de declarar o recebimento de R$ 1 na declaração de Imposto de Renda para ver se não cai na malha fina dos órgãos de controle. Vá entender.


A divulgação das delações dos executivos da Odebrecht é devastadora. Somente uma empresa, executivos de uma única empresa, conseguiu fazer com que se instaurassem inquéritos contra centenas de políticos, incluindo ex-presidentes e um terço do Senado da República — imagine, então, se a moda das delações alcançasse outras empresas.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

4 comentários:

Unknown disse...

Brasil, um país de TOLOS!!!

Anônimo disse...

O Brasil está podre de A a Z, e tudo fruto desta merda chamada de "Constituição Cidadã". Um elenco de boas intenções, tipo chave do galinheiro na mão dos ladrões das galinhas. Criaram um Estado que não cabe no bolso da sociedade, uma burocracia infernal, um sistema político corrupto, um sindicalismo selvagem, podre e criminoso, e uma casta de indemissíveis que realmente manda neste país. Venderam a ideia de que sorvete é remédio, e espalharam direitos a torto e direito, sem a devida contrapartida de deveres. Junte a isto uma classe politica fisiológica e covarde, e um corporativismo voraz, e temos o que hoje nos aflige. Não tem como dar certo, e a melhor solução individual, é comprar uma passagem e esquecer os sonhos. Brasileiro de 3a. categoria não tem o direito de sonhar, apenas contribuir.

Anônimo disse...

Esquecer, Políbio, de registrar 1(um) real na declaração de imposto de renda é mto. Basta tu colocares PONTO no lugar de VÍRGULA nos centavos e já serás chamado na malha fina.

Nelson disse...


Pouco os Moralhas não receberam, petralhas também desde os vereadores até os senadores, todos a base troca troca até tinha um governador de epocas que fazia troca troca, ganhou todas as eleições dava até energia eletrica em troca de votos, nunca perdeu uma eleição, vai continuar este trem até Seul, até Doralhas, vão encher o bolso. Até o fim do mundo, nos coitados viventes, coitados vamos comer trangenicos, até a morte.