MPF cobra R$ 61 milhões do líder petista que usou cargo de diretor para roubar a Petrobrás

Renato Duque, à direita, preso em Curitiba, e o chefão que o nomeou para roubar da Petrobrás para o PT.
Ele roubou para si próprio, também, por suposto.

O Ministério Público Federal pediu a condenação de 14 réus por desvios feitos nas obras do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento da Petrobras, o Novo Cenpes, no Rio.

O MPF cobra ainda a restituição de 20 milhões de reais pelo esquema, assim como uma multa de 40 milhões de reais pelos danos causados aos cofres públicos.

O pedido foi feito nas 320 páginas das alegações finais apresentadas pelos procuradores ao juiz Sergio Moro.

O processo inclui o ex-diretor da Petrobras Renato Duque, ex-presidente da OAS Léo Pinheiro, o empresário Adir Assad, o ex-tesoureiro do PT Paulo Ferreira,  o advogado Alexandre Romano,  o empreiteiro Roberto Capobianco e o empresário Ricardo Pernambuco, da Carioca Engenharia.