Imposto sindical de R$ 3,6 bilhões por ano engorda CUT, Força Sindical e Cpers

A proposta de reforma trabalhista, cujo relatório final será apresentado amanhã no Congresso, pretende acabar com o imposto sindical obrigatório. A taxa é paga com, um dia de trabalho de todos os trabalhadores com carteira assinada.

São R$ 3,56 bilhões por ano.

É com este dinheiro sem fiscalização que centrais com,o CUT e Força Sindical, sindicatos como Cpers, fazem o que bem entendem, inclusive manifestaç]ões de rua, ataques ao governo e grossa corrupção.

O dinheiro estimula o surgimento de novos sindicatos.

Já são 17 mil.

13 comentários:

Anônimo disse...

O imposto sindical em nada ajuda o trabalhador. Serve apenas para dar mordomias aos dirigentes sindicais, que se transformam nos novos senhores dos trabalhadores. O sindicato a que pertenço não cobra o imposto sindical de seus associados e é contra o imposto sindical. Tbém não é filiado à cut.

Anônimo disse...

Duvido que ese bando de pilantras de Brasília tenha cabelo no peito para secar essa fonte imoral de dinheiro para estas organizações criminosas. Vai acabar tudo num grande aconchavo liderado por renan e seus amigos petralhas.

Anônimo disse...

Assim como a justiça do Trabalho, os sindicatos também devem ser extintos.

Cap Caverna disse...

Esse imposto sindical, já deveria ter siso extinto a muitos anos, pois atualmente serve para bancar ataques raivosos e políticos, à quem quer que discorde de seus livros marxistas. Também tem que colocar em LEI, que o funcionário que quiser entrar com uma causa trabalhista contra a sua ex empresa, deverá depositar no mínimo 10% do valor da causa que está pleiteando. Fazendo isso, em pouco tempo, a tal de "justiça do trabalho" ficaria esvaziada dos milhares de processos que possuem! Para mim a justiça do trabalho, nada mais é, do que um local, onde em cada 1000 processos, o empresário ganha 1, pois é parcial e tendenciosa!

Anônimo disse...

Mas quem fomentou isso foram os governos anteriores.

Que se revogue a compulsioriedade e se faça por opção LIVRE do trabalhador !

E urgente, por medida provisória !!

Bora Temer !

Anônimo disse...

Fazem a FESTA !!!!

Anônimo disse...

17.000 sindicatos? Existem 17.000 categorias de trabalhadores? O fim do imposto sindical deve ser extinto para acabar com essas distorções. Mesmo porque de nada servem. Só para engordar pelegos e utilizar os inocentes - ou nem tanto - como massa de manobra.

Carlo Germani disse...

O post do editor já disse tudo.

Cortar a fonte financeira dos $indicato$ encerra de vez esse festival de greves,de caos urbano,de corrupção,(...),e a maior rede de pelegagem do planeta.

Fim do imposto (sic) sindical obrigatório.

Anônimo disse...

Perdi meu emprego, não posso mais pagar tanto imposto. O Brasil virou um sugador do trabalhador. Imposto, Imposto, Imposto. Nosso salário só serve para pagar imposto, isto é, quando se tem emprego o governo nos tira quase tudo. Ficamos com as migalhas para sustentar nossa família. Que país é esse? E agora ainda assaltados pelos políticos.

Anônimo disse...


Governo Temer colocou na pauta várias reformas urgentes, como a da Previdência, com projeto antigo do PT, mas o povo honesto brasileiro não saiu pras ruas pedindo essas reformas, e sim pedindo o fim do "fôro privilegiado pra bandidos, ladrões políticos".
Pelo fim da corrupção.

Nenhum projeto pode ser aprovado por um Congresso repleto de bandidos, desmascarados pela Suíça, pela Interpol e pelo MPF, todos concursados e sem indicações políticas, portanto sem cabresto bolivariano.

Anônimo disse...


Governo Temer colocou na pauta várias reformas urgentes, como a da Previdência, com projeto antigo do PT, mas o povo honesto brasileiro não saiu pras ruas pedindo essas reformas, e sim pedindo o fim do "fôro privilegiado pra bandidos, ladrões políticos".
Pelo fim da corrupção.

Nenhum projeto pode ser aprovado por um Congresso repleto de bandidos, desmascarados pela Suíça, pela Interpol e pelo MPF, todos concursados e sem indicações políticas, portanto sem cabresto bolivariano.

Anônimo disse...

Tá na hora de acabar ...

Anônimo disse...

É muito bom para ser verdade. Sindicatos fazem o que querem, claro, sempre contra o trabalhador.