terça-feira, 11 de abril de 2017

Ex-presidentes do Trensurb também estão na Lista de Fachin

Os ex-presidentes da Trensurb, Porto Alegre, Humberto Kasper, Marco Arildo Prates da Cunha, Eliseu Padilha e Marco Maia (foto ao lado) estão na lista de Janot por terem recebido propina.

Muita gente não entendeu por que razão Kasper e Arildo estavam no rol divulgado pelo Estadão.

É isto.

O inquérito de número 4.434, aberto por ordem do ministro do STF Edson Fachin, atinge em cheio quatro gaúchos envolvidos na obra de extensão da linha do Trensurb entre São Leopoldo e Novo Hamburgo. Dois deles têm foro privilegiado por exercício do cargo: Eliseu Padilha (PMDB), ministro da Casa Civil, e Marco Maia (PT), deputado federal. Os outros dois, Marco Arildo Prates da Cunha e Humberto Kasper (ambos ex-diretores do Trensurb), serão beneficiados pelo fato de serem investigados no mesmo procedimento dos políticos com foro privilegiado. É alvo da apuração também o ex-ministro Paulo Bernardo. Os episódios aconteceram durante o governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

 Os quatro foram delatados por dois ex-dirigentes da empreiteira Odebrecht, Benedicto Junior e Valter Lana, em colaboração ao Ministério Público Federal (MPF). O valor inicial do contrato correspondia a R$ 323,9 milhões. Conforme os delatores, Marco Maia exigiu 0,55% do valor do contrato para ajudar a não "ter entraves" no negócio. Ele teria encontrado representantes da empreiteira num restaurante do Hotel Intercity em Porto Alegre, em 2008. No mesmo ano, o então deputado federal Eliseu Padilha (PMDB) teria solicitado o pagamento de 1% do valor do contrato, em decorrência de sua possível interferência no processo licitatório. Outro 1% teria sido requisitado pelo então ministro do Planejamento Paulo Bernardo (PT).

CLIQUE AQUI para saber mais.

16 comentários:

Anônimo disse...

É o que dá, chinelao em cargo de direcao. Lugar de ladrao e vagabundo do PT é na cadeia.

Anônimo disse...

Tem que investigar todos os petralhas que se revezaram na direcao da trensurb. Chico vesgo, nazur, timotheo, ernani e seus comparsas edson, belolli ...

Anônimo disse...

Esse Marco Maia fez uma das campanhas MAIS CARAS na última eleição. Em toda a região metropolitana onde havia cavalete de candidato sempre havia desse desqualificado. Agora enche a Br116 de outdoors defendendo os aposentados. Mentira está defendendo a sua boquinha rica,sua futura aposentadoria como deputado.
Ele já explicou de onde saiu a mansao em Canoas? É o apto em Miami?

Anônimo disse...

CULPA DO POVO VOTAR NESTES PORQUERAS!

Anônimo disse...

Que isso "cumpanheiro" na hora de mamar estavas descendo de rapel no saco dos teus PaTrões!

Só ficou ruim depois que largou a tetinha...

Vai pescar cação na beira da lagoa...

Isso não te pertence mais...

Anônimo disse...

Sentar a mamona no lombo dos corruptos

Anônimo disse...


Governo Temer colocou na pauta várias reformas urgentes, como a da Previdência, com projeto antigo do PT, mas o povo honesto brasileiro não saiu pras ruas pedindo essas reformas, e sim pedindo o fim do "fôro privilegiado pra bandidos, ladrões políticos".
Pelo fim da corrupção.

Nenhum projeto pode ser aprovado por um Congresso repleto de bandidos, desmascarados pela Suíça, pela Interpol e pelo MPF, todos concursados e sem indicações políticas, portanto sem cabresto bolivariano.

Anônimo disse...


Governo Temer colocou na pauta várias reformas urgentes, como a da Previdência, com projeto antigo do PT, mas o povo honesto brasileiro não saiu pras ruas pedindo essas reformas, e sim pedindo o fim do "fôro privilegiado pra bandidos, ladrões políticos".
Pelo fim da corrupção.

Nenhum projeto pode ser aprovado por um Congresso repleto de bandidos, desmascarados pela Suíça, pela Interpol e pelo MPF, todos concursados e sem indicações políticas, portanto sem cabresto bolivariano.

Anônimo disse...

Não foi surpresa para mim que os três presidentes da Trensurb estejam na lista de Janot. Marco Maia, Arildo e Kasper. A relação promiscua entre a Odebrecht e a direção da Trensurb era muito evidente. A Odebrecht bancava churrascos, happy hour, presentes de finais de ano, esta relação tinha como consequência, fazer vistas grossas na fiscalização, construção de estações com grande opulência em regiões pobres, encarecendo propositadamente a obra de expansão de Novo Hamburgo. Tanto Marco Maia, como Arildo e Kasper tiveram um crescimento muito grande nos seus patrimônios. Agora é só esperar o que acontecerá com estas figuras nefastas para a sociedade.

Anônimo disse...

O interessante é que em nenhuma das campanhas a Odebrecht não doou grana. Conclusão este tralha usou o dinheiro para fazer a mansão em Canoas, comprar o apartamento em Miami e outros negócios.

Anônimo disse...

Os ex-presidentes da Trensurb, Marco Maia, Arildo e Kasper devem ter recebido propina, também, na compra dos trens novos que custou a Trensurb, R$ 250 milhões. Outro detalhe importante é que a expansão da Trensurb não custou apenas R$ 350 milhões e sim R$ 1 bilhão.

Anônimo disse...

Com relação aos outros diretores da Trensurb, provavelmente sairão na lista de amanhã de 200 pessoas sem foro privilegiado.

Anônimo disse...

estes vermelhos adoram e vivem no luxo- cinicos malditos, pt ladrao de idosos

Anônimo disse...

deveriam privatizar e terceirizar tudo nesta m. de pais assim como é feito no 1 mundo , estes vermelhos demoliram as estatais criaram mais de 100 mil cargos p seus coleguinhas vermelhos ganharem altissimos salarios sem terem competencia e sem trabalharem, enchem os bolsos sem fazerem m. nenhuma - pt nanico sem as urnas fraudulentas nao elegem mais ninguem

Anônimo disse...

O fato de estar aposentado e ocioso, me fez um combatente contra as injustiças... injustiça que só se materializaram quando perdi a tetinha...

O GADANHO

Anônimo disse...

Polibio, admiro o teu jornalismo, sempre democrático e com uma imparcialidade ímpar...

O GADANHO