Entrevista, Pedro Lagomarcino - Imagine se tudo que é bandido condenado for convidado para aulas inaugurais da Ufrgs

O senhor representou, novamente, o reitor da UFRGS pela prática de improbidade administrativa. Como é isto ?
Pelo visto ele aprecia "tomar cafezinho" com o MPF, haja vista que não é a primeira vez que envio seu nome para lá pelo mesmo motivo.

Quais são os fundamentos da representação ?
A CRFB/88 e o art. 11, da Lei nº. 8.429/94 exigem dos agentes públicos obediência estreita dos Princípios Constitucionais da Administração Pública, em especial, os da legalidade, da impessoalidade, da moralidade e da honestidade.

O senhor refere-se à aula inaugural prevista para o Salão de Atos da Ufrgs, que receberá a presidente cassada Dilma Roussef ?
Sim. Penso que a Universidade e as salas de aulas de colégios públicos, evidentemente, mantidas com recursos públicos, não são locais para se fazer proselitismo político de 5ª categoria, ainda mais de filosofias ultrapassadas que não deram certo em país algum.

Uma deturpação ?
​Deturpar o meio acadêmico, para tais PráTicas é coisa de trêfego e desonesto.
Veja:
http://www.ufrgs.br/ifch/index.php?formulario=agenda_ifch&metodo=0&id=220&voltar=sim
Pior, ver que a UFRGS irá fazer, pasme, uma aula inaugural no instituto de filosofia com uma condenada por irresponsabilidade e cassada ​pelo Senado Federal ​ é algo que nos deixa, deveras, "estarrecidos".

E ?
Imagine se tudo que é bandido condenado viesse querer fazer aula inaugural em curso de filosofia na Universidade?
A Universidade se tornaria uma fábrica de diplomas para o crime.