‘Braskem não teve corrupção endêmica como a Odebrecht’, diz Fernando Musa

Os repórteres Fernando Scheller e Marcelle Gutierrez, Estadão, entrevistaram o novo presidente da Braskem, Fernando Musa, que esclarece o estágio atual por que passa a petroquímica do grupo Odebrecht. Ele não apenas navega a superfície. A Braskem controla o Polo de Triunfo, RS, no qual consolidou sua posição depois que ela mesma e sua controladora, a Odebrecht, corromperam Lula, fizeram a corte em Dilma e Palocci, compraram apoio de dezenas de parlamentares e gente dos governos do RS, tudo para no fim arrematar vantagens criminosas nas compras da Triunfo e Ipiranga, sem contar contratos de fornecimento de nafta que lesaram a Petrobrás. Ele não fala em nada disto.

Leia:

Em dezembro de 2016, após fechar acordo de R$ 3,1 bilhões com a Justiça dos EUA, da Suíça e do Brasil, a petroquímica Braskem considerava ter encerrado o “capítulo Lava Jato” em sua história. Porém, a divulgação dos vídeos das delações recolocou seu nome nas manchetes. A Braskem – gigante que fatura R$ 54 bilhões ao ano e tem Odebrecht e Petrobrás como sócias – alega que os fatos das últimas semanas estão incluídos no acordo homologado pelo Departamento de Justiça (DoJ) americano e pelo Ministério Público brasileiro, mas que ainda precisa do “carimbo” do juiz Sérgio Moro.

Em entrevista ao Estado, o executivo Fernando Musa, que assumiu o comando da petroquímica há um ano, afirma que a corrupção na Braskem era concentrada – diferentemente do que ocorria em sua principal acionista, a Odebrecht.

Estado: Qual é o risco de novos fatos sobre a Braskem aparecerem nas investigações da Lava Jato?
Fernando Musa: Tudo o que está vindo à tona agora é um substrato do que levou ao nosso acordo (com a Justiça dos EUA, da Suíça e do Brasil). 

CLIQUE AQUI paraler tudo.

8 comentários:

Anônimo disse...

como : ...'corromperam lula'...

Anônimo disse...

Tá bom então é só "meio" corrupta. Fuga da realidade é um caso para tratamento psicológico prezado editor.

Anônimo disse...

“Segundo reportagem desta semana da revista britânica The Economist, Portugal conseguiu reduzir seu deficit orçamentário à metade em 2016, chegando a 2,1% do Produto Interno Bruto (PIB). Trata-se do melhor resultado registrado desde a transição para a democracia, em 1974.
O governo português do primeiro-ministro António Costa, do Partido Socialista, no poder desde novembro de 2015, conseguiu reduzir o deficit fiscal ao mesmo tempo em que aumentou os salários e aposentadorias.
Sob o comando de Costa, o país também atingiu pela primeira vez a meta estabelecida para as nações da chamada zona do euro e conseguiu reestabelecer salários, aposentadorias e horas trabalhadas aos níveis anteriores à crise econômica de 2008. Além disso, a economia portuguesa cresce há três anos seguidos”.
Você pode concordar ou discordar de Lula e de Lorde Keynes. Mas a notícia é essa.
Agora, em 23 de abril de 2017, a Folha de São Paulo traz uma matéria que mostra como reagiram as classes dominantes brasileiras em relação a isso.
”Desencanto e crise impulsionam êxodo de brasileiros abastados para Lisboa”.
“Hoje, 85 mil brasileiros são residentes regulares em Portugal, com visto de trabalho e estudo.
Para ter direito ao visto especial, o "golden visa" (Autorização de Residência para Atividade de Investimento), é preciso investir € 1 milhão (R$ 3,4 milhões) ou adquirir imóvel que custe pelo menos € 350 mil (em áreas de reabilitação urbana) ou € 500 mil nas demais zonas. Após cinco anos de residência, o beneficiário pode solicitar cidadania portuguesa”.
Não é para qualquer um.
Mas veja só quem já está por lá, o dono da Empiricus, um nome bastante conhecido dos coxinhas que vestiram camisa amarela e bateram panelas.
"Recomendamos fortemente o investimento em imóveis em Portugal. Você paga barato, está na Europa, forma um patrimônio em euros e o retorno varia de 5% até 15%", avalia Renato Breia, sócio da Empiricus, consultoria financeira que abriu filial em Lisboa".
"O economista de 32 anos se mudou há um ano e meio para lá e seguiu o conselho dado aos clientes, ao comprar por € 270 mil um apartamento de 90 m²”.
Perto de um milhão de reais por um apartamento de 90m². Mas vale a pena.
“O jovem e as duas famílias fazem parte de uma leva de brasileiros de classe média alta e ricos que, nos últimos três anos, encontraram além-mar um Eldorado para fugir da insegurança, do desencanto com a política e da crise econômica no Brasil”.

ARS disse...

Simplesmente, essa empresa só existe como fruto da corrupção sistêmica do governo da organização criminosa.

Anônimo disse...

Realmente, é outro caso de uma pessoa que vive num mundo só seu. Braskem nascida da corrupção, nunca foi corrompida? Claro, como nunca existiu sem corrupção, não foi corrompida. É uma jogada de palavras e lógica.

Anônimo disse...

Ele acredita em Papai Noel e coelho da páscoa...!!!

passanh disse...

Vai vender mentiras no inferno, vagabundo.. Fechem esta empresa maldita...

Emmanuel Carlos disse...

Sei ... sei .... e o coelhinho da páscoa também é amiguinho do papai noel ...