Artigo, Tito Guarniere - Não vai dar certo

Há 25 ou 30 anos Roberto Campos costumava dizer que o Brasil não corria o menor risco de dar certo. Era uma manifestação comum em Campos, contra tudo o que vinha do Estado, em oposição ao nosso apego ao estatismo, à nossa crença de que o Estado tudo resolve e de que existe almoço grátis e governo grátis.

Mas diante de duas ou três notícias tomadas ao acaso é de se perguntar: será que Campos só estava fazendo ironia? Vejam o Renan Calheiros. A vida do sujeito é um rolo só. Está metido em uma dezena de processos, inclusive na Lava Jato. É o líder do PMDB no Senado. Pois não é que o homem, sem mais aquela, rompeu com o governo de Michel Temer, do seu partido, e se declara feliz de ter migrado para a oposição?

Não é, em si, censurável mudar de posição. Mas então ele deveria, antes de tudo, renunciar à liderança do partido no Senado. Disso ele não cogitou. Apenas saiu do governo, atirando na terceirização e na reforma da previdência, dois pilares do governo Temer.

Mas o que isso tem a ver com o futuro do Brasil ? 

CLIQUE AQUI para ler tudo.

2 comentários:

Unknown disse...

Campos era um estadista!!!
Infelizmente remou contra a correnteza do estatismo e do populismo!!!
Mas, ao longo de sua carreira, sempre falou a mesma coisa, contra tudo e contra todos!!!
Foi fiel ao seu posicionamento econômico!!!

Cap Caverna disse...

Esse Renan Calheiros, não passa de um marginal!