Alexandrino Alencar diz que Onyx concordou em receber por caixa 2. Onyx reage forte: "Não devo e não temo"

Ao lado,com Janot durante a votação das "10 Medidas Anticorrupção".

Quando o seu nome apareceu na lista dos investigados na terça-feira, Onyx divulgou um vídeo na sua página do Facebook no qual diz que nunca pediu dinheiro para a Odebrecht e que "continua limpo".

— Sei dos meus procedimentos, nunca estive na sede da Odebrecht, nunca pedi dinheiro para a Odebrecht e por esta razão, com absoluta tranquilidade, mas com a indignação daqueles que querem a investigação rápida para poder provar que nada tenho a ver com isso, eu venho, nesse momento, dizer a cada um de vocês: podem continuar confiando, eu estive 24 anos limpo, continuo limpo e vou continuar limpo. Não devo e não temo — afirmou o deputado.

Relator do pacote anticorrupção proposto pelo Ministério Público Federal no ano passado, o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) concordou desde o início em receber recursos por caixa dois, de acordo com o relato do ex-diretor da Odebrecht Alexandrino Alencar em sua delação premiada. Segundo o relato, houve o pagamento de R$ 175 mil no ano de 2006 e o codinome usado foi "inimigo".

— O senhor Onyx Lorenzoni sabia que ia receber via caixa dois? — questionou o procurador.
— Sim, soube — respondeu Alexandrino.
— Isso foi dito já nessa conversa inicial? — perguntou o investigador.
— Já foi dito nessa conversa inicial — disse o ex-executivo.
— Ele anuiu com isso? — questionou o procurador.
— Sim, Anuiu. Normal, anuiu. Não houve nenhuma rejeição, nenhum se não disso aí — afirmou Alexandrino.

O ex-diretor diz que fazia um trabalho de observar políticos que poderiam ter um futuro promissor e investir nas campanhas deles desde o início para criar uma relação com a empresa. Foi assim que chegou a Onyx, que se destacava no Rio Grande do Sul. Alexandrino diz que ele procurou Onyx em 2006 durante a campanha para oferecer os recursos.

13 comentários:

Anônimo disse...

ESSA ESTÓRIA ESTÁ MUITO ESTRANHA:
1- O ALEXANDRINO FOI ATRÁS DO ONIX E NÃO O INVERSO?
2- O ALEXANDRINO ALEGOU QUE O CÓDIGO ME QUE INVENTOU PARA O ONIX ERA -INIMIGO E ACHAVA QUE O - INIMIGO TINHA POTENCIAL?
3-PARECE ESTORINHA MONTADA PARA PREJUDICAR UM VERDADEIRO INIMIGO DA ORCRIM DESDE SEMPRE. NESSA CASO SÓ TEM UMA ACUSAÇÃO DE UMA PESSOA SOBRE UM FATO GERADO POR ESSA MESMA PESSOA! COMO ESSE ALEXANDRINO NUNCA FOI TRIGO LIMPO, E DEVE SER UM CARA FRIO, ELE PODE MUITO BEM TER ESPIRRADO PARTE DO QUE SABIA E CRIADO FACTOIDE PARA INIMIGO SEM RISCO DE SER ESSA ESTORINHA MENTIROSA!

Anônimo disse...

Porca comunista.

Anônimo disse...

Caixa 2 não é crime, TODOS O TIVERAM!


Anônimo disse...

Incrível, "ninguém deve e não teme"!
Brasil, Terra de Políticos Honestos e Quase Santos.
Ora, se exemplos de honestidade, então MP e Tribunais estariam repletos de quê? De invejosos e caluniadores?
Contem outra, políticos brasileiros!

Anônimo disse...

Bem todos os envolvidos vão dizer que nada devem, é normal.

Vão tentar até por a culpa no sistema de dados, também normal.

PF e MP vão deixar elles falar a vontade, depois, bem depois mostrarão as provas.

Será hilário.

Anônimo disse...

A Odebrechtd Norberto, um pernambucano, iniciou suas ativades na Bahia lá pela metade dos anos 1940. Desde o início já começou a construir para o governo baiano. Desde início começou a desenvolver o seu know-how em propinar.

Nos anos 1980, o Emilio, filho do fundador Norberto, conheceu o Lula. Aí, deu no que deu!

Caracteres defeituosos quando se associam provocam grandes prejuízos às suas vítimas.

Brasil zil zil zil!!!

Anônimo disse...

Esse alexandrino não merece nenhuma confiança, em se tratando de ter sido corruptor e distribuidor de "benesses" a políticos e amigão e companheiro de viagens de lulladrão. Como agora, com todas as evidências, não pode mais defender seu ex amigo, com a finalidade de salvar a própria pele, fez a delação premiada, onde vai dedurando todo o mundo. Ônix incomodou muito essa quadrilha com a tal votação das 10 medidas contra a corrupção e talvez a denúncia de alexandrino seja coisa encomendada. Pelo sim, pelo não, compete a Ônix comprovar sua inocência. Eu, porém não duvido mais de nada - tudo é possível no país da maior corrupção do mundo!

Anônimo disse...

hipocrisia é mato no Brasil, o que esperar de um representante dos "homens de bem" do pais

Mordaz disse...

Ia ao mercado comprar políticos com dinheiro por baixo dos panos. Dinheiro das obras superfaturadas do setor público.

Anônimo disse...

Caro Políbio
Fiquei pasma quando soube do Onix. Não esperava. Mas, o fato é que recebeu. Essa defesa de que nunca foi a Odebrecht e jamais pediu dinheiro é infantil. O Lula tb nunca foi à Odebrecht pegar $ e jamais pediu, oras. O fato é que é dinheiro de propina e ele sabia e aceitou.
Esther

Anônimo disse...

Não dá para entender o choro do Onix, o TSE publica o ranking dos partidos políticos, com o número de políticos cassados por corrupção eleitoral. Dos 21 partidos que tiveram políticos cassados transcrevi até o décimo colocado. A anos o DEM ganha de lavada.

01º - DEM, cassados:69, participação:20,4%
02º - PMDB, cassados:66, participação:19,5%
03º - PSDB, cassados:58, participação;17,1%
04º - PP, cassados:26, participação: 7,7%
05º - PTB, cassados:24, participação: 7,1%
06º - PDT, cassados:23, participação: 6,8%
07º - PR, cassados:17, participação:5%
08º - PPS, cassados:14, participação:4,2%
09º - PT, cassados:10, participação: 2,9%
10º - PPB, cassados:8, participação:2,4%

Na foto aparece o Onix rindo com o Janot, rido de quê? Acho que era o Janot que ria da cara o Onix, tipo assim: "Tá te achando, vou te pegar....."

Anônimo disse...

O pior corno é aquele q nao acredita. Abre o olho. Estão todos contaminados.

NEWTON disse...

Vamos dizer então que todos os políticos brasileiros estão doentes. Os levemente resfriados e os com câncer em estado terminal, todos no mesmo balaio, sem a menor distinção. Neste caso, que apareça o primeiro cidadão brasileiro “100% são” e atira uma pedra no balaio. O Deputado Onyx foi procurado em 2006, e digamos,caiu na tentação em uma oportunidade. E em 2010 e 2014, o que houve? O “Inimigo” radicalizou?