85% dos servidores estaduais gaúchos contam com aposentadorias especiais

Mais de 73% dos servidores ativos da Administração Direta do governo do RS pertencem a órgãos das secretarias de Segurança e a da Educação.

Todos contam com aposentadorias especiais.

O rombo previdenciário gaúcho é bilionário, arromba mensalmente os cofres públicos, extrai dinheiro da população que não conta com este tipo de privilegio e paralisa o estado há muitos anos. O governo não consegue maioria para impor mudanças. 

Do outros 27% restantes, calcula-se que  a metade sejam mulheres, o que eleva para cerca de 87% os servidores  contemplados por algum tipo de aposentadoria especial no serviço público estadual. Nesse contexto, representando mais de 85% dos servidores da Secretaria da Educação, estão as professoras, que se aposentam com dez anos a menos que um servidor do sexo masculino de outra atividade não contemplada por aposentadoria especial.

Também pode ser considerado como agravante na despesa previdenciária o fato de os servidores da segurança se aposentarem sem a observação do limite mínimo de idade. Isso contribui para a anomalia por demais conhecida de existirem na Brigada Militar 26 coronéis na ativa e 455 aposentados ou na reserva, para usar o termo adequado, representando esses últimos 95% do total.

5 comentários:

Anônimo disse...

Caro polibio. A não exigência de limite de idade para aposentadoria especial não é culpa dos servidores da area da segurança pública e sim do legislador que só pensa na reeleição fazendo gracinha com o erário público. Esquecendo que a conta mais cedo ou mais tarde será contada.

Anônimo disse...

Adivinhe só.
São todos eles servidores do Executivo!
Então por que o Judiciário tem que ter os salários atrasados também?

Anônimo disse...

É O FIM DOS TEMPOS...

O GOVERNO CONSOME 71% DA RECEITA LIQUIDA COM SALÁRIOS DE ATIVOS E INATIVOS...

A UNICA SOLUÇÃO É MUDANÇA NA CONSTITUIÇÃO ELIMINANDO A CLAUSULA PÉTREA DO PRIVILÉGIO ADQUIRIDO... FORA DISSO VAMOS DESCENDO LADEIRA ABAIXO, A RECEITA JAMAIS VAI ACOMPANHAR A DESPESA....

VAMOS NOS TORNANDO UM MARANHÃO, INFRAESTRUTURA CAINDO AOS PEDAÇOS, EMPRESAS E EMPREENDEDORES INDO PARA OUTROS ESTADOS...AUMENTANDO CADA VEZ MAIS A DESGRAÇA DO ESTADO...POIS O AGRONEGÓCIO É BOM MAS NÃO DA CONTA ....

É SO VER NO PORTAL TRANSPARÊNCIA RS AS OBSCENIDADES DE SALÁRIOS DE INATIVOS E PENCIONISTAS..

POPULAÇÃO DA INICIATIVA PRIVADA CADA VEZ RECEBE MENOS, POIS PAGA CADA VEZ MAIS IMPOSTOS QUE VÃO SE TRANSFORMAR UNICAMENTE EM SALARIOS....MISÉRIA DE MUITOS, FELICIDADE DE POUCAS....BAITA DEMOCRACIA....

TÁ RUIM, VAI PIORAR....


Anônimo disse...

Certamente existem distorções. Um servidor público aposentado antes do 50 anos de idade não parece certo. Mas muita calma: nem oito nem oitenta. Também não parece certo exigir que um servidor da área da segurança pública (onde a média de vida é de 59 anos, para quem não sabe) se aposente com 65 anos. Em regra a virtude está no meio termo, como parece ser a solução para o caso. Menos de cinquenta é muito cedo, mas 65 é muito tarde. Não existe um meio termo?
Em tempo: Maldosa a imagem publicada pelo editor na matéria. Em que pese sejam precoces algumas aposentadorias, em regra na área de segurança e educação as aposentadorias não são altas. Para deixar claro: Aposentadoria precoce não implica altos vencimentos. Me parece que um professor estadual ou soldado da BM aposentado, ainda que precocemente, não está sorrindo ou jogando dinheiro para o alto como deixa a entender a imagem maldosamente utilizada pelo editor.

Unknown disse...

E nóis paga!!!