85% dos servidores estaduais gaúchos contam com aposentadorias especiais

Mais de 73% dos servidores ativos da Administração Direta do governo do RS pertencem a órgãos das secretarias de Segurança e a da Educação.

Todos contam com aposentadorias especiais.

O rombo previdenciário gaúcho é bilionário, arromba mensalmente os cofres públicos, extrai dinheiro da população que não conta com este tipo de privilegio e paralisa o estado há muitos anos. O governo não consegue maioria para impor mudanças. 

Do outros 27% restantes, calcula-se que  a metade sejam mulheres, o que eleva para cerca de 87% os servidores  contemplados por algum tipo de aposentadoria especial no serviço público estadual. Nesse contexto, representando mais de 85% dos servidores da Secretaria da Educação, estão as professoras, que se aposentam com dez anos a menos que um servidor do sexo masculino de outra atividade não contemplada por aposentadoria especial.

Também pode ser considerado como agravante na despesa previdenciária o fato de os servidores da segurança se aposentarem sem a observação do limite mínimo de idade. Isso contribui para a anomalia por demais conhecida de existirem na Brigada Militar 26 coronéis na ativa e 455 aposentados ou na reserva, para usar o termo adequado, representando esses últimos 95% do total.