terça-feira, 28 de março de 2017

Nesta terça-feira, Sartori quer destravar votação do restante do Pacote de Ajustes

Os projetos remanescentes do pacote de ajuste fiscal do governador José Ivo Sartori voltarão à pauta da Assembleia Legislativa a partir desta terça-feira. É o que quer o governo, mas boa parte da base quer esperar pelo Plano de Recuperação Fiscal de Temer. A análise dos textos mais polêmicos, porém, tende a ser adiada pelo governo por pelo menos mais uma semana.Embora seja minoria, a oposição dá como certa a derrota do Piratini, sob a justificativa de base fragmentada.CLIQUE AQUI para saber quais as PECs que dificilmente passarão.

A demora reflete as dificuldades do Piratini para manter a fidelidade da base, prestes a perder o PDT, e garantir a adesão de deputados que se definem como "independentes", em especial do PTB. Das 11 medidas ainda em exame, seis são propostas de emenda à Constituição (PECs) e exigem o aval de pelo menos 33 dos 55 parlamentares. 

Sem votos suficientes até agora, o Piratini vinha protelando desde janeiro a apreciação das matérias Uma das PECs de maior resistência é a que retira a necessidade de plebiscito para a privatização da CEEE, da Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e da Sulgás.

Para ganhar tempo, a estratégia do Piratini é começar a destravar a pauta pelos projetos menos controversos, cujo prazo já expirou. Ao todo, existem 10 nessa situação. A tendência é de que seis deles, não relacionados ao pacote, sejam apreciados primeiro, seguidos dos outros quatro. As PECs devem ficar para a próxima semana.

5 comentários:

Unknown disse...

E a corte de nobres finalmente se dará conta de que depois de se lambuzar comendo o filé, vai ter que roer o osso que sobrou???
Não acredito em nada que não seja o enquadramento do Legislativo e do Judiciário!!!
"TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI"... e perante a penúria da crise atual!!!

Anônimo disse...

Isto já foi votado e decidido: não haverá corte no legislativo nem no judiciário.

Tampouco haverá redução de CCs, nem redução de verbas e cargos de gabinete.

Anônimo disse...

DESTRAVAR...SE ATÉ NO QUE JÁ FOI VOTADO ELE ESTÁ TRAVADO.ATÉ AGORA NÃO FEZ COISA COM COISA.NENHUMA FUNDAÇÃO FECHOU,NINGUÉM FOI DEMITIDO...MUITA ENROLAÇÃO...

Anônimo disse...

Não deixem destruir o nosso Estado não votem a favor o governo tem dinheiro suficiente para pagar os funcionários não tem necessidade de vender nada.

Carlo Germani disse...

Quando vão entender que a causa de tudo é a máquina estatal.

Reduzam essa usina burocrática que sobrará muito dinheiro para investimentos a favor da população.