domingo, 5 de março de 2017

Mariz de Oliveira trabalhará no Planalto ao lado de Temer

Michel Temer convidou e o advogado Antonio Mariz de Oliveira aceitou um cargo de assessor especial do governo. Mariz vai trabalhar no Palácio do Planalto e terá como atribuição cuidar da área de segurança pública.

7 comentários:

Anônimo disse...

temeroso: uma cagada após a outra - sempre se cercando de assemelhados seus. Torço para que seus dias tenham fim brevemente, para o bem do Brasil!

Anônimo disse...

Quem seria este Mariz? Advogados há dezenas de milhares espalhados por aí.

Anônimo disse...

ADVOGADO DE VÁRIOS QUE ESTÃO SENDO INVESTIGADOS.

INICIALMENTE ELE MESMO DISSE QUE NÃO PODERIA POR COUSA DISSO, AGORA O QUE MUDOU ?

SOMENTE MANDADOS DE PRISÕES INTERNACIONAIS É PODEM FAZER QUE MUDE PELO MENOS UM POUCO ESTE CENÁRIO TOTALMENTE CORROMPIDO.

Anônimo disse...

Completando o título do post:

Mariz de Oliveira trabalhará no Planalto ao lado de Temer para combater a lava-jato.

Anônimo disse...

Aí tem ... Esse velho advogado, matreiro, defende vários implicados na LAVA JATO. Temer está se cercando de um especialista visando a LAVA JATO, onde também está implicado. Eta Brasil complicado !!! Para "consertar" só fechando o Congresso atual e CONVOCAR NOVAS ELEIÇÕES. Acorda Brasil ! DIA 13 de MARÇO todos às RUAS para protestar. A pauta é extensa e começa exigindo BLINDAGEM para a perseguida operação Lava Jato ...

Anônimo disse...

Inimigo na trincheira.
Nunca foi Juiz, Delegado, membro do MP e nem militar e sequer é um estudioso da área da segurança pública e vai cuidar da segurança pública?
Sua especialidade é advogar para acusados.
Podem crer tudo que ele vai cuidar é o andamento da Lava Jato para que os envolvidos possam estar sempre prevenidos do que vai acontecer e possam adotar suas estratégias de proteção.
Será que ele vai abrir mão de todas procurações que os acusados e/ou envolvidos lhe passaram? Vai se licenciar da OAB?
Ocorre que o seu escritório deve continuar com as procurações e ele vai estar no controle de tudo.
Alguém acha o contrário?
Pode isto Arnaldo?

Anônimo disse...

Decisão acertada !