"Le Monde" revela suspeitas de corrupção na escolha do Rio como sede da Olimpíada de 2016

Lula comemorou a conquista como obra do seu governo.

O jornal 'Le Monde' revelou nesta sexta-feira que o empresário brasileiro Arthur César de Menezes Soares Filho, conhecido como 'Rei Arthur' e muito próximo do ex-governador do RJ Sérgio Cabral, teria pagado cerca de US$ 1,5 milhão a Papa Diack, filho de Lamine Diack, então presidente da Federação Internacional de Atletismo, a maior federação olímpica. Papa Diack foi banido do atletismo e o pai dele, Lamine Diack, está preso na França por suspeita de lavagem de dinheiro e corrupção.

A holding Matlock Capital Group, com sede nas Ilhas Virgens Britânicas, que gerenciava alguns negócios dele, teria feito o depósito no dia 29 de setembro de 2009, em Dakar, no Senegal, três dias antes da escolha da capital carioca como sede das Olimpíadas. Documentos que comprovam a transação foram transferidos pelo Fisco dos EUA à Justiça da França, que já dispunha de elementos concretos que colocam em xeque a integridade do processo de escolha do Rio como sede dos jogos de 2016.

Arthur César de Menezes Soares Filho foi dono do grupo Facility e é um dos empresários mais próximos do ex-governador do RJ Sérgio Cabral. Ele também é investigado na Operação Calicute e chegou a prestar depoimento ao Ministério Público Federal.