sábado, 11 de março de 2017

Guilherme Fiuza, O Globo - "Operação Lava-Rato"

A história do assalto sem precedentes do PT precisa ser retocada porque a narrativa coitada não pode morrer.

A Lava-Jato perdeu a chance de se tornar a principal instituição feminista do país prendendo Dilma Rousseff no Dia Internacional da Mulher. A delação da Odebrecht está confirmando o óbvio — que ela sabia de tudo (“tudo”, no caso, significando o maior assalto aos cofres públicos da história). Mas Dilma continua à solta, e isso nem é o mais grave. A mesma delação está servindo ao papo de que a corrupção iguala todo mundo. O Brasil está louco para ser depenado de novo — e ele é bom nisso.

“A delação da Odebrecht mostra que os que derrubaram a Dilma praticaram a mesma corrupção que ela”, decretou no rádio um desses companheiros fantasiados de comentaristas.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

10 comentários:

Anônimo disse...




20 anos depois;

STF marca para 18 de abril julgamento de Maluf por uso de contas no exterior


O Supremo Tribunal Federal (STF) marcou para 18 de abril o julgamento do deputado Paulo Maluf (PP-SP) pela acusação de ter usado contas no exterior para lavar dinheiro desviado das contas da prefeitura de São Paulo à época em que o parlamentar comandou o município (1992-1996). Maluf – que nunca foi condenado pela Suprema Corte – será julgado na Primeira Turma do tribunal.
O relator da ação, ministro Luiz Edson Fachin, mudou, recentemente, para a Segunda Turma do STF em razão da morte do ministro Teori Zavascki em um acidente aéreo. Após ter trocado de turma, Fachin foi sorteado o relator dos processos da Lava Jato que tramitam na Corte.
O caso de Maluf será julgado na Primeira Turma porque Fachin liberou o processo para julgamento quando ainda integrava o colegiado. O relator da Lava Jato voltará à Primeira Turma excepcionalmente para o julgamento da ação penal sobre o ex-prefeito paulistano.
A ação penal foi aberta em setembro de 2011 contra 11 acusados, entre os quais Paulo Maluf e familiares. Somente o processo contra o deputado do PP continua no Supremo porque ele tem direito a foro privilegiado.
Os parentes dele passaram a responder na Justiça comum. Todos negaram envolvimento no esquema.
No processo, os advogados de Maluf argumentaram que a ação não procede porque a acusação é de um suposto crime cometido antes de entrar em vigor a Lei da Lavagem de Dinheiro. Editada em 1998, a legislação estabelece punições para crimes do gênero.
De acordo com a denúncia, uma das fontes do dinheiro supostamente desviado ao exterior por Maluf seria a obra de construção da Avenida Água Espraiada, atual Avenida Jornalista Roberto Marinho, realizada quando o deputado era prefeito de São Paulo.
O custo total da obra foi considerado “absurdo" pelo Ministério Público Federal. O antigo relator do caso, ministro Ricardo Lewandowski, destacou em um despacho que o prejuízo aos cofres públicos chegou a quase US$ 1 bilhão.
Offshore
O Ministério Público apontou que a lavagem dos valores teria sido feita, entre 1993 e 2002, por meio de um esquema de contas bancárias em nome de empresas off shore (firmas brasileiras criadas para fazer investimentos no exterior).
Segundo os procuradores da República, o dinheiro desviado teria sido entregue a um doleiro que fez remessas para uma conta de um banco em Nova York, nos Estados Unidos. De lá, os recursos teriam sido enviados para contas em paraísos fiscais.
O passo seguinte, segundo a denúncia, foi reutilizar parte do dinheiro com a compra de ações de empresas da família Maluf no Brasil, entre 1997 e 1998.
O MPF calcula que, até janeiro de 2000, os fundos supostamente abastecidos pela família Maluf teriam movimentado mais de US$ 172 milhões.
Maluf responde a outras duas ações penais no STF. Em uma delas, é acusado do crime de corrupção passiva por suposto desvio dos recursos da obra na capital paulista. Na outra, ele é suspeito de ter cometido crimes contra o sistema financeiro.

http://g1.globo.com/politica/noticia/stf-marca-para-18-de-abril-julgamento-de-maluf-por-uso-de-contas-no-exterior.ghtml

Anônimo disse...

À solta e pretende viajar para PORTUGAL , no próximo dia 15 de março, para "conferência" em que falará do "golpe" e das " ameaças " à democracia no BRASIL . Irá com seu séquito de Seguranças e Assessores, às nossas custas. É a segunda viagem de turismo à EUROPA este ano, por conta do contribuinte. Como é bom ser ex-Presidente cassado no BRASIL .!!!

Anônimo disse...

Da nojo ver a canalha psdbista Gilmar Mendes anistiando a bandidaiada do caixa 2. O povo brasileiro precisa revolucionar e acabar com esse STF protetor de bandidos. Eh uma vergonha! Na hora de votar lembrem-se que o PSDBosta está por trás disto. Essa canalha (STF) eh a mesma que tá processando o Deputado Jair Messias Bolsonaro, pq mesmo? Tenham vergonha bando de canalha.

Unknown disse...

O correto seria Operação Roto Rooter!!!
Limpa fossa!!!

Anônimo disse...

Dizem por aí o BNDES equivale a 100 lava-jato.
Será verdade?

Anônimo disse...

Boa esta frase "companheiros fantasiados de comentaristas"

Justiniano disse...


Petralha acima esquece que o Maluf é batedor de carteira perto do que o PT fez nesse país.

Conseguiram quebrar o Brasil, essa quadrilha de ladrões e bandidos do PT (Palocci, Mantega, Paulo Bernardo, Edinho Silva, Zé Dirceu, Ricardo Berzoini, Gilberto Carvalho, Sérgio Gabrielli, Paulo Okamoto e o chefe da quadrilha Lula).

Anônimo disse...

Maluf, tambem da base aliada do Lula. Mas, afinal, quem aprendeu com quem?

Anônimo disse...

Não é só ela. A deputada Stela Farias viajou à França as custas da Assembleia (campeã de diárias no mês) para comprar o enxoval do neto que está para nascer. Tudo documentado e fotografado no blogdoprevidi.blogspot.com.

Anônimo disse...

A quem esse petralha comunista das 09,58, pensa convencer, mudar de idéia de que o partido delle, assaltou o país, é o partido mais corruPTo que já existiu.