Governo Temer emplaca início de reemprego no Brasil. O próprio Temer fez o anúncio.

Os 13 milhões de empregos destruídos durante o governo Dilma Roussef, fruto de uma política econômica suicida, começam a ser reduzidos, tudo porque mudou a política econômica. O acontecimento tem tudo a ver com o fim da recessão e a retomada lenta, gradual e segura da economia.

O Brasil voltou a ter saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada após 22 meses. Conforme dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em fevereiro deste ano, o país registrou 1.250.831 contratações contra 1.215.219 demissões, ficando com variação positiva de 35,6 mil vagas. Os números foram divulgados, nesta quinta-feira, pelo presidente Michel Temer (PMDB) e pelo ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, em evento no Palácio no Planalto.

O setor de serviços teve o melhor saldo, com variação positiva de 50,6 mil postos, seguido pela administração pública: 8,2 mil. O comércio, com redução de 21,1 mil vagas, apresentou o pior desempenho no mês passado.