segunda-feira, 6 de março de 2017

Governo já tem base parlamentar para aprovar PEC da Previdência

Apesar da ofensiva do governo para garantir votos para a Reforma da Previdência, o relator do projeto, Arthur Maia (PPS-BA), disse que há base para aprovar as mudanças. "O governo está afinado, não tenho dúvida nenhuma que temos base parlamentar para aprovar PEC da Previdência", afirmou.

Enquanto o governo defende a aprovação da proposta da forma como foi enviada ao Congresso, Maia, após reunir-se por mais de uma hora com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, voltou a defender modificações, entre elas mudanças nas regras de transição e a flexibilização do ponto que proíbe acumular pensão e aposentadoria. "Continuo dizendo que regra de transição é muito abrupta e continuo entendendo que merece alternativas, que a discussão seja aprofundada", disse.

11 comentários:

Unknown disse...

Maia é um mequetrefe!!!

Anônimo disse...

Segundo a PROCURADORIA-GERAL DA FAZENDA NACIONAL , empresas privadas e públicas devem 426 BILHÕES à PREVIDENCIA. Uma das empresas maiores devedoras da Previdência é a JBS ( FRIBOI) , a empresa queridinha de LULA e DILMA . A JBS deve UM BILHÃO E OITOCENTOS E TRINTA E SETE MILHÕES DE REAIS à Previdência. ( Dados do SINPROFAZ , Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional ). !!!

Anônimo disse...

Para que o povo consiga sustentar a Monarquia em Brasília é necessário sacrificá-lo mais ainda. Não bastasse os altos impostos que nos obrigam a pagá-los, agora mais esta mudança no Plano da Previdência. Se o governo não tinha dinheiro para administrar o país, porque mandaram para fora todo o nosso recurso disponível no BNDES? Não é mais possível morar no Brasil, está se tornando impossível a sobrevivência. Os políticos que foram omissos e deixaram chegar a essa situação de ingovernabilidade, serão os mesmos que farão a Reforma da Previdência. Sem moral para qualquer mudança. O PODER EMANA DO POVO.

Anônimo disse...

E o Paim????

Anônimo disse...

Lamentável !
O trabalhador vai ser enrabado mais uma vez para garantir a grana das castas públicas.
Nojo desse país.

Anônimo disse...

Parece que não tem base não....
Na própria Comissão que discute a Reforma a base governista não conseguiu adesão maior do que 50%. O Deputado Onix, por exemplo, que é do DEM atacou fortemente a proposta...
E trata-se de PEC que em plenário precisará de 3/5 - isto é, no mínimo 60%.... Se o governo não ceder em alguns pontos, vai perder em plenário.

Anônimo disse...

UM TRILHÃO DE REAIS PAGOS A TÍTULO DE JUROS TODO
ANO AOS BANCOS ! SEM AUDITORIAS E SEM RECLAMAÇÕES, MAIS O QUE QUEBRA AS FINANÇAS DO GOVERNO FEDERAL SÃO AS MISERÁVEIS PENSÕES PAGAS AOS POBRES PENSIONISTAS.

FAÇANHA FASCISTA disse...

JAIR SOARES já declarou, muitas vezes, que a previdência não é deficitária. Seus recursos são sangrados pela roubalheira que tem assolado o País.

Unknown disse...

Causa e efeito. Por que pagam juros? Para o custeio do imenso rombo previdenciário. Portanto, tem que se consertar a Previdência ou aumentar a carga tributária em mais, digamos, 100℅. Pros nervosinhos: que tal pagar o dobro de impostos?

Anônimo disse...

Vamos fazer iniciar uma campanha que começa agora, para as próximas eleições: uma listagem com todos os políticos que vão votar a favor dessa reforma injusta, não vão se eleger nunca mais!!!

Anônimo disse...

Se os movimentos pelo 26 de março não incluírem a luta contra ESTA reforma da previdência, perderá a maioria dos adeptos e não conquistará outros. Enquanto isto, o povão volta a ser cooptado pelo pt e asseclas, pois para o povo, interessa o que lhe atinge diretamente. Nem eu, nem muitos outros que foram a todos os anteriores iremos se no dia 26 não estiver em pauta um vigoroso protesto contra está reforma da previdência, só defendida por quem não trabalha no pesado. Vamos fechar os olhos para os desmandos da nova quadrilha que está no poder (maia, eunício, jucá, etc) e deixar o pt novamente se fazer passar por "salvador dos trabalhadores" ou vamos bronquear para que a reforma comece pelas polpudas aposentadorias dos políticos?