Estados fazem corpo mole no caso do Plano de Recuperação Fiscal. Vão acabar perdendo, como no caso da previdência.

O recuo do presidente Michel Temer no caso do enquadramento dos servidores estaduais e municipais no âmbito da proposta de reforma da presidência deveu-se ao corpo mole de governadores, prefeitos e parlamentares estaduais e municipais.

Eles não quiseram desgaste.

Isto volta a ocorrer no caso da proposta do Plano de Recuperação Fiscal.

As críticas de governadores como Sartori e de deputados como os gaúchos, são perfunctórias e visam livrar a cara de cada um.

O presidente Temer conhece este jogo de esconde-esconde.