Servidores grevistas desobedecem ordem de voltar ao trabalho em Florianópolis

Depois de uma semana da ordem que deu para a volta imediata ao trabalho, a desembargadora do TJ de Santa Catarina, continua confrontada pelos servidores que já completam um mês de greve em Florianópolis.

Irritada, ela aumentou a multa imposta ao sindicato dominado por Psol e PCdoB, que foi de R$ 30 mil para R$ 100 mil por dia.

Ela reluta em destituir os diretores do sindicato e de mandar prender todos eles.

O vetor principal da greve foi a extinção do Plano de Cargos e Salários dos professores.

Os alunos continuam sem aula, embora o ano letivo tenha começado no dia 6.

6 comentários:

José disse...

Gente, vamos abrir os olhos, governo precisa urgentemente arruma uma desculpa para acabar com a Lava-Jacto.

Com ondas de paralisações em todo o país, terão a desculpa para um 'estado de sítio' no país.

Nada à nível governamental é por acaso, e editor mais que ninguém sabe bem disso. Já passou e passa ainda por muito em virtude de bater de frente contra a ampla falta de moralidade que estamos a presenciar.

Anônimo disse...

Autoridades de merd...as unicas autoridades respeitadas no pais são os chefões do crime organizado...No Brasil atual os meninos devem ir brincar e deixar os cargos de autoridades para homens..

Anônimo disse...

Está dentro do quadro de ação do PT e partidos satélites de botar fogo no Brasil, em 2017, para inviabilizar o governo federal e tirar o foco da prisão de NINE.!!!

Anônimo disse...

Parabéns ao Governo Catarinense! São mais, muito mais, corajosos que os gauchos (sem acento). Por isso os gauchos vão lá comprar carrinhos mil que não querem mais. Êta estadinho fu.... este Rio Grande.

Anônimo disse...

PSOL e PC do B comandando a Educação? Nem eles sabem o que isso significa. A que ponto chegamos, essa tarefa sempre foi do Estado.

Anônimo disse...

do q adianta greve se nao tem 1 real em caixa, o pt destruiu o pais, vai levar anos p concertar o estrago