Reforma trabalhista vira polêmica na Câmara dos Deputados

A polêmica tomou conta da audiência sobre a reforma trabalhista realizada nesta quinta-feira, na Câmara dos Deputados, quando perguntado se o governo apoiaria ou não o trabalho intermitente, o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, saiu com essa: "cada dia tem a sua angústia".

A sessão durou mais de quatro horas e o procurador-geral do Trabalho, Ronaldo Fleury, atacou às diretrizes apresentada para a reforma trabalhista, principalmente na parte de alteração no sistema de registro de ponto dos trabalhadores brasileiros, que para ele, “isso não interessa às boas empresas”. No final, o ministro Nogueira foi questionado pelos jornalistas e disse existir uma portaria de 2011 que permite mudar a jornada de trabalho, assinada no governo Dilma Rousseff.