Prefeitura de Porto Alegre gasta dinheiro que não tem em obra que não necessita

Na semana passada, o prefeito de Porto Alegre Nelson Marchezan Júnior declarou, em diversas entrevistas, que a cidade estava feia e suja, no que encontrou coro em toda a população.

Também disse que, a partir de março, os salários dos servidores começariam a ser pagos em parcelas porque a prefeitura estava enfrentando sérios problemas de caixa, razão pela qual, por 90 dias, declarou moratória a todos os prestadores de serviços, que já não recebem por seu trabalho desde meses antes do fim da gestão anterior.

Entretanto, quem passa pela avenida Salgado Filho tem visto funcionários da Secretaria de Obras e Viação removendo os meios-fios históricos, de granito rosa, e substituindo-os por concreto. Um gasto que não é barato - cada bloco custa, em média, R$ 15,00 -, desnecessário e inútil, que deprecia ainda mais o Centro Histórico, hoje tomado por feirantes em suas calçadas, sem qualquer fiscalização. E que corrói ainda mais os combalidos cofres públicos.