Polícia Federal desfecha nova operação para prender aliados de Sérgio Cabral

Nova fase da Operação Lava Jato foi deflagrada na manhã desta quinta-feira no Rio de Janeiro.A Polícia Federal e a Procuradoria da República iniciaram o desdobramento da Calicute, ação que levou à prisão de Sérgio Cabral. A intenção é prender preventivamente Ari Ferreira da Costa Filho, que seria mais um operador do ex-governador. A PF também realiza buscas em imóveis de Ari e de pessoas ligadas a ele. 

Segundo informações do Estado de São Paulo, Filho começou a trabalhar com Cabral na década de 80 e em 1996 ele atuou em cargo comissionado no gabinete de Cabral. Mais tarde, ele passou por várias secretarias no governo do peemedebista no Rio de Janeiro. Filho ainda se tornou assessor especial de Cabral e participou do governo de Luiz Fernando Pezão até poucos dias atrás. 

Ao menos nove acusados de atuarem como operadores financeiros do esquema de Cabral, entre doleiros e responsáveis por cobrar e transportar os pagamentos ilícitos, já foram presos pela PF no Rio desde que a Operação Calicute foi deflagrada em 17 de novembro de 2016.

2 comentários:

Anônimo disse...

OUTRA DICA:

Aécio definiu conluio em licitação em Minas, afirma delator da Odebrecht;;;;;

POSTA ESSA EDITOR, MAS TECE ALGUM COMENTÁRIO......

Anônimo disse...



E o Pezão?

Não respingou nada nele ainda, porque será?

Deve ser por causa do serviço que ele está prestando aos grandes empresários, que estão de olho nas privatizações do RJ.