MP quer obrigar Sartori a preservar Jardim Botânico e acervo da FZB

A promotoria de Meio Ambiente do Ministério Público Estadual ajuizou ação pública para impedir a venda da área do Jardim Botânico e preservar o patrimônio científico da Fundação Zoobotânica e do Museu de Ciências Naturais.

A ação, protocolada na Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, também pede que a Justiça proíba a demissão de servidores, como deseja o governo de José Ivo Sartori.

O MP também solicita que seja impedida a transferência de bens das duas instituições e a rescisão de qualquer acordo ou contrato que prejudique as atividades de educação ambiental.

12 comentários:

Anônimo disse...

O ministério público é um monstrengo parido pela constituição de merda de 1988. Amarra tudo, se mete em tudo, são arautos do atraso, e o pior, não respondem pelo prejuízo que causam. Se ainda havia proatividade na área pública, hoje não tem mais, pois o tal MP é uma ameaça a qualquer iniciativa de agente público, cujo maior patrimônio é o seu cargo. Urge colocar limites nas demandas do MP, ou então, responsabilizá-los pelas leviandades, sem limite, de que são capazes.

Anônimo disse...

o MP vai pagar os salários e encargos caros de celetistas desta fundação? que coisa os gaúchos morrendo todo dia vítimas da falta de serviço essencial na segurança, saúde e a educação. e o MP e a justiça travando o governo de se desfazer de que tudo que é desnecessário e ineficiente. Faça logo a negociação coletiva Sartori e manda essa gente trabalhar de verdade.

Anônimo disse...

APENAS O JARDIM BOTÂNICO E A FEE (FUNDAÇÃO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA ) DEVERIAM SER POUPADOS PELO GOVERNO.
O RESTO NÃO FAZ FALTA.

Anônimo disse...

Excelente iniciativa! Só temo que as construtoras que desejam devastar aquela linda área se utilizem de bon$ argumento$ pra convencerem nossos nobres e probos magistrados.

João Carlos Severo Dullius disse...

Esse pessoal do MP parece não conhecer a legislação. Em 2003, por meio da Lei nº11.917, o Jardim Botânico foi considerado como Patrimônio Cultural do Estado do Rio Grande do Sul. Portanto, não pode ser vendido ou mesmo ter suas características alteradas.

Anônimo disse...

Muito bom, área de pesquisas e acervo científico não pode acabar.

Porque não passam tudo isso para o Banrisul ? Pelos lucros do banco pode muito bem assumir isso. Ou será a venda do banco que não deixa ?

Anônimo disse...

Acontece que querem fatiar o Jardim Botânico para vender para construção de imóveis.

À continuar assim, em seguida vai à venda o Parque Farroupilha.

Alguém está ganhando, o PF ( por fora ), nessas negociatas.

Anônimo disse...


Está tudo sendo costurado por baixo do pano. Podem ver que tem rede de comunicação ( com construtora junto ), que nada noticia. Silencio total.

Querem o fato consumado.

´E um absurdo. Só mandando tudo para a cadeia.

Anônimo disse...

Triste como os cidadãos de bem não se dão conta de que sempre vai ter um grande por traz do fatiamento do publico. Sempre alguma empresa privada terá que prestar o mesmo serviço antes prestado pelo publico, o que dá margem pra o que estamos vendo nas delações da lava jato. Claro que ai não tem problema pq os " servidores vagabundos" não estaram mais empregados, mas os seus corruptos de estimação estaram ganhando o deles.

Anônimo disse...

Absurdo colocar a venda o Jardim Botânico, uma das poucas áreas públicas realmente de qualidade em Porto Alegre. Ignorância ambiental completa, e ainda mais sobre cidade.
Está certo se livrar das porcarias do Estado, mas vender a área do Jardim Botânico é grotesco e exagerado demais. Nesse caso, estão certos. Quem estaria interessado nessa área? Hummmm isso cheira a picaretagem e cara de pau sem limites.

Anônimo disse...

Existe muita ilação e delírio persecutório em relação às incorporadoras. Porto Alegre possui um dos Planos Diretores mais restritivos do país, e os sitios ambientais ou parques acima mencionados, NUNCA teriam a possibilidade de serem alienados a favor de edificações. Por favor, vamos argumentar com um pouco mais de conteúdo e conhecimento.

Anônimo disse...

Conversa fiada dos corporativistas. transfere para as universidades estas instituições como fazem os americanos e livre o estado dos elefantes brancos.