Moro manda libertar o ex-tesoureiro nacional do PT, o ex-deputado gaúcho Paulo Ferreira

O petista gaúcho saiu a tempo de participar do carnaval da Restinga, Porto Alegre. Paulo Ferreira é um conhecido financiador de baterias.

O juiz federal, Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em primeira instância, determinou nesta quinta-feira a soltura do ex-tesoureiro do PT, o gaúcho Paulo Ferreira. O ex-tesoureiro nacional do PT pagou R$ 175 mil dos R$ 200 mil estipulados como fiança para sair da cadeia.

Ferreira foi  preso em julho de 2016 durante a Operação Custo Brasil, desdobramento da Operação Lava Jato, e permanecia na carceragem da Polícia Federal em Curitiba. 

Ele é réu pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

6 comentários:

Anônimo disse...

VIVAAAAAAA O BRASI... A PUTA COMUNISTA ESTA MORTAAAAAAA HAHAHA CHORAAA PETEZADA VAGABUNDA

Anônimo disse...

Moro só libera Paulo Ferreira com fiança, mesmo sem riscos da soltura:

02/02/2017

O juiz da Lava Jato admitiu que o ex-tesoureiro do PT não apresentava riscos, não sendo necessária a prisão preventiva. Ferreira juntou R$ 165 mil e magistrado cobrou outros R$ 25 mil em 45 dias

Jornal GGN - O ex-tesoureiro do PT, Paulo Ferreira, foi liberado pelo juiz Sérgio Moro da prisão que estava há mais de sete meses. Ainda no final do ano passado, Moro entendeu que o ex-tesoureiro não era um dos principais beneficiários ou articuladores do esquema e permitiu a soltura do político, mas mediante uma fiança de R$ 1 milhão.

Paulo Ferreira não conseguiu juntar o dinheiro e, por isso, não foi solto. A Justiça baixou, então, a fiança para R$ 200 mil. Mas o político apenas conseguiu juntar R$ 165 mil e um automóvel Citroen C4, até agora.

Em sua decisão, nesta quinta-feira (02), o magistrado da Vara Federal de Curitiba decidiu conceder a ele "o benefício da dúvida" e analisou, sem provas ou qualquer indícios, que o investigado Paulo Ferreira possa ter "gasto o valor que lhe teria sido repassado [em propina] com o consumo ou em outras finalidades".

Mas apesar de soltá-lo, não cedeu, ainda assim, no pagamento da fiança de R$ 200 mil. Determinou que o político deposite os R$ 25 mil restantes do total em até 45 dias. Preso na penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo, Paulo Ferreira deve deixar a prisão ainda nesta quinta-feira (02), de acordo com o advogado Elias Mattar Assad.

Já que estamos no campo da "suposição"
Quer dizer, a suposta propina recebida já teria sido, supostamente, torrada pelo suspeito.

Na sua decisão, o suposto magistrado concedeu ao mesmo o "benefício da dúvida".

Pode ser que ele seja, supostamente, inocente do que é acusado, é justo dizer que a "suposição" ainda vai acabar por substituir a "convicção", nesse suposto processo legal?

Anônimo disse...

Voltou para as ruas o financiador das escolas de samba, teremos de novo pixulecos no Carnaval?

Anônimo disse...

kkk, esse esquema de escolas de samba e' uma piada,

Anônimo disse...

MAIS UM TESOUREIRO DA ORCRIM PETRALHA - ELE FOI LIBERTO POR ENQUANTO, DAQUI UNS DIAS VOLTA AO XILINDRÓ

Anônimo disse...

FOI SOLTO POR ENQUANTO MAS LOGO RETORNA