terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Ministério Público pede interdição do Presídio Central por mau funcionamento do sistema de esgotos

O Ministério Público do Rio Grande do Sul pediu, ontem ao Poder Judiciário, a interdição imediata do Presídio Central de Porto Alegre em razão do mau funcionamento do sistema de esgoto daquela unidade prisional.

 O MP alegou que a estação, construída para tratar o esgoto do presídio, é muito antiga e não comporta mais fazer o tratamento de resíduos domésticos.  Além do lixo não ser separado da forma correta e ser depositado em um arroio próximo, nas celas também é descartado todo tipo de lixo, inclusive restos de comida.  A capacidade da Penitenciária Estadual de Rio Grande é de 568 vagas, mas hoje ela abriga 1.153 detentos. Enquanto o problema no sistema de esgoto não é solucionado, o Ministério Público pede a interdição parcial da PERG. Caso a decisão seja aceita, ele seguirá funcionando, mas não poderá receber nenhum novo detento.

7 comentários:

Anônimo disse...

O gaúcho Felipe Diehl foi covardemente atacado por comunistas ontem no Centro Cultural da UFMG. Por ocasião da paleatra do também comunista Renato Rabello.

Anônimo disse...

Sugiro ao MP junto aos deputados ligados aos direitos humanos que levem os anjinhos para suas casas enquanto o presídio estiver interditado. Outra sugestão é fazer com os bandidos o mesmo que fizeram com suas vítimas, assim o presídio vai esvaziar e a sociedade vai ficar melhor. O MP deveria começar a defender a sociedade, pois aqui no RS muitas vezes é inimigo dela.

Anônimo disse...

Quando é que o MP, o judiciário e outros vão propor trabalho para os presos ?

Anônimo disse...

Poderíamos interditar também vilas e bairros com esgoto a céu aberto ou sem serviço de esgoto cloacal, ou interditar despejo de esgoto in natura nos rios da região metropolitana, por exemplo. Temos tanto direito quanto os presidiários...Ou não ???

Anônimo disse...

Não entendi a notícia. Afinal de contas, o esgoto é no Presídio Central de POA ou no Presídio de Rio Grande? As vagas e a população prisional são de Rio Grande, mas a notícia abre falando no PC/POA.

Anônimo disse...

Essa é o legado de 14 anos de desgoverno vermelho atrasado.

Anônimo disse...

Covardia. A esquerda anda raivosa e selvagem. Aplicação da lei neles.