Meirelles não descarta cobrança de "Spread" pelo BNDES

A cobrança de taxas de juros semelhantes as do mercado em seus empréstimos é uma das possibilidades que podem ocorrer com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), disse hoje o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, durante seminário sobre o chamado "spread" bancário (diferença entre o que os bancos pagam pelos recursos e quanto cobram nos empréstimos), realizado na sede do banco em Brasília.

Durante o evento, o ministro afirmou que nos últimos anos, houve um crescimento dos empréstimos do Tesouro Nacional ao BNDES, mas esse tipo de procedimento está diminuindo. No fim do ano passado, o BNDES antecipou a devolução de R$ 100 bilhões ao Tesouro, dentro das medidas tomadas do pacote de ajuste fiscal do governo Michel Temer, que visava reduzir as despesas do governo com subsídios.