Justiça bloqueia bens do governador de Minas, Fernando Pimentel

Este não é o caso que ainda está pendente de decisão do STF sobre o foro a que responde o mineiro, homem forte do PT e de Dilma Roussef. CLIQUE AQUI para saber sobre a decisão surpreendente do STJ, que motivou recurso do MPF ao STF.

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais aceitou um recurso do Ministério Público (MP) estadual e determinou o bloqueio dos bens do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, do PT, e de outras cinco pessoas. Os promotores querem que o grupo devolva R$ 9.998.573,32 aos cofres públicos, gastos em pagamento à Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Belo Horizonte, pela instalação de um sistema de segurança por monitoramento com câmeras nas ruas da capital mineira.

Foi tudo um "acerto" feito com o CDL e Pimentel levou vantagens indevidas.

Na ação, a Promotoria de Defesa do Patrimônio Público alegou que, em 2004, o então prefeito Fernando Pimentel e secretários deles contrataram o serviço de monitoramento por câmeras, sem licitação pública; que a compra dos equipamentos foi feita por meio de um convênio com a Câmara de Dirigentes Lojistas, que subcontratou empresas para implantar o programa; e que a CDL ainda teria deixado de pagar uma dívida tributária com o município.