Entenda como o dólar baixo reduz os ganhos com a valorização da soja em Chicago

O editor constatou que muitos leitores buscaram saber como é que se comportam os preços dos principais grãos - arroz, trigo, soja e milho - produzidos no RS, que nesta safra 2016/2017 emplacarão produção recorde superior a 31 milhões de toneladas.

O grão mais plantado pelos produtores e mais comercializado, principalmente exportação é a soja, cuja produção, nesta safra, poderá alcançar 17,5 milhões e até 18 milhões de toneladas, contra 16,2 milhões da safra anterior.

E os preços ?

Na Bolsa de Chicago, hoje, a cotação da soja abriu a US$ 10,2 por bushel (27,210 kg), valor que no mesmo dia do ano passado, 23 de fevereiro, estava em US$ 9,02. Em dólar, a alta é de 15%.

A valorização em dólar poderia encher de alegria os produtores gaúchos, mas acontece que no dia 23 de fevereiro do ano passado, o dólar estava cotado a R$ 3,96, cotação que nesta quinta-feira é de apenas R$ 3,06. Isto ajuda a explicar por que razão o preço da saca de 60kgs oferecidos no interior gaúcho vale R$ 63,50, contra os R$ 72,50 pagos no ano passado. Uma queda, em real, de pelo menos 10%. 

O que mais preocupa é que, o ano passado nesta época já tínhamos 5 milhões de toneladas vendidas pelo produtor, esse ano só tem 2 milhões de toneladas.

Será que o produtor não perdeu o barco? Pois na metade do semestre passado a saca valia R$ 90,00 e agora talvez R$ 65,00 pra pagamento 31 de maio de 2017.


Mas em termos de clima, de política, e de câmbio, no Brasil, 24 horas é longo prazo.