Engenheiros movem Adin contra o governo e a Assembleia do RS

As alterações feitas após a promulgação, pela Assembleia, da chamada Lei Kiss, motivaram o Sindicato dos Engenheiros, o Senge, a mover ação direta de inconstitucionalidade com pedido de medida cautelar contra o governador José Ivo Sartori e o Legislativo.

Antes de acolher a solicitação, o Tribunal de Justiça decidiu que Sartori e o presidente do Parlamento, Edegar Pretto (PT), têm até 30 dias para se manifestar.

O Senge quer que o Estado garanta a segurança pública a partir da criação de condições técnicas para que o Corpo de Bombeiros exerça seu trabalho de maneira eficiente, com o apoio de engenheiros na corporação por serem profissionais legalmente habilitados para a orientar e implementar medidas contra incêndio.

2 comentários:

Lima disse...

O mais estranho nisso tudo é que se os bombeiros não tivessem liberado a casa noturna ninguém iria acender fogos de artifício. No entanto, os tais "soldados do fogo" saíram quase ilesos da história.

Anônimo disse...

Esse presidente do Senge só faz oposição ao governo Sartori. Mas isso acontece pq ele eh funcionário da Corsan e está sedido para o sindicato, ganha mais de 30 mil pago por nos contribuintes, o o governo está com projeto pra acabar essa barbada. Depois que o governo colocou esse projeto na assembleia o mamador só qr criticar o governo.