segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Censura sobre a Folha impediu ato criminoso contra a vítima Marcela Temer

A Folha de S. Paulo foi censurada porque queria cometer ato criminoso contra Marcela Temer, a vítima de chantagem. A Lei Carolina Dieckmann, editada por Dilma Roussef em 2012, protege a vítima chantageada ou ofendida de qualquer forma nos meios sociais de web. CLIQUE AQUI para conhecer.

É correta a decisão do juiz Hilmar Castelo Branco Raposo Filho, da 21ª Vara Cível de Brasília, segundo a qual são consistentes os fundamentos apresentados pela defesa de Marcela Temer, que são "relevantes e amparados em prova idônea", tudo para proteger a intimidade da vítima diante da sanha criminosa de hacker celerado.

Diz a sentença:

 - A inviolabilidade da intimidade tem resguardo legal claro.

O juiz impediu a divulgação de um áudio em que Marcela Temer, a vítima, era alvo de chantagem de bandido identificado, processado, condenado e preso.

18 comentários:

Anônimo disse...

corretíssimo, só não vale pro Sérgio Moro (vide vazamento de conversa com a presidente) porque o interesse público está acima de questões legais.

Anônimo disse...

kkkkkkkkkk, até parece, criando notícia em cima de notícia, defendendo as raposas até a cova, que barbaridade

Anônimo disse...

O judiciário impediu um típico assassinato de reputações que seria covardemente praticado por "democráticos" jornalistas.

Anônimo disse...

todo mundo sabe a a gatinha tá tentando esconder outra coisa que já "escondeu"...ehehe é uma delícia...

Anônimo disse...

O que é que tinha de tão interessante nesta gravação que foi proibida sua divulgação?
Poderia dar alguma separação?

Anônimo disse...

Setores da imprensa querem transformar uma vítima de chantagem em barganha para seus interesses escusos? Será a falta de pixulecos que foram impedidos de receber pela lava jato? Agora entendo todo o ódio contra Bolsonaro, bandidos o odeiam, mas 2018 virá logo e uma mudança Trumpiana ocorrerá aqui e entre os bandidos haverá choro e ranger de dentes! Cidadãos decentes serão tratados como decentes, bandidos e seus defensores serão tratados como bandidos.

Nelson disse...

Parece que tem cousa com moraes, continuara dama por muitos anos, quem sabe o mundo tá cheio disso.

Anônimo disse...

Como se alguém precisasse de alguma a mais para colocar Temer na lama. Ele já está na lama com tantas delações citando seu nome e com muitos bandidos como ministros. Não precisa de hacker nenhum.

Anônimo disse...

GREENWALD QUEBRA CENSURA À IMPRENSA IMPOSTA POR TEMER E MARCELA:

13 DE FEVEREIRO DE 2017 - Brasil 247

247 – No dia em que os jornais Folha de S.Paulo e O Globo sofreram um ato de censura por parte do governo Temer e do juiz Hilmar Castelo Branco Raposo Filho, de Brasília, o site The Intercept, do jornalista Glenn Greenwald, divulgou o conteúdo censurado: a investigação sobre um hacker que clonou o celular de Marcela Temer e ameaçou divulgar um áudio que colocaria o nome de Temer "na lama", segundo ele próprio, caso não recebesse R$ 300 mil.

O The Intercept denuncia o "grande ataque à liberdade fundamental de imprensa perpetrado pelo governo do presidente Michel Temer, sua esposa Marcela e um juiz do Distrito Federal" e diz que, "como um dos objetivos da criação do The Intercept era defender e apoiar a liberdade de imprensa em todo o mundo, estamos publicando os materiais censurados para que possam ser analisados pelo público".

O portal traz algumas páginas da investigação da Polícia Civil com imagens da conversa entre Marcela e o hacker, Silvonei José de Jesus Souza, condenado a cinco anos e onze meses de prisão. O portal destaca que "o mais bizarro" no episódio é que as informações divulgadas pelos jornais eram públicas, e poderiam ser acessadas por qualquer advogado ou pessoa com cadastro no site da Justiça.

"Não fazemos isso por conta de nosso afeto pela Folha de S. Paulo ou pelo Globo. Os dois jornais atacam a liberdade de imprensa de outros veículos regularmente (...). E, ironicamente, esses dois veículos apoiaram o impeachment de uma presidente eleita democraticamente, Dilma Rousseff, levando Temer ao poder. Pelo contrário, fazemos isso por reconhecer que o ataque à liberdade de imprensa de qualquer meio de comunicação – mesmo do Globo e da Folha – representa uma ameaça à liberdade de imprensa de todos", diz ainda o The Intercept.

PS: Enquanto a midia marrom glace se faz de facera para se fazer de morta devidamente combinado com o governo Temerário do Traíra se esqueceram que combinar com a midia internacional.

Anônimo disse...

Virou Nossa Senhora? Intocável a divina dama?

Anônimo disse...

O juiz agiu corretamente, infelizmente uma grande parcela da imprensa é composta de urubus que mais fazem fofocas do que informam. O Brasil está um caos.. não dá para piorar ainda mais. Essas Associações de Jornalistas são entes parasitas...

Anônimo disse...

Caso Marcela: Globo, Folha e Temer se merecem. Por Paulo Nogueira:

13 Feb 2017 - DCM

Não espere de mim nenhum tipo de solidariedade à Folha e ao Globo pelo caso Marcela.

Os dois jornais foram impedidos pela Justiça de publicar reportagens sobre a tentativa de extorsão de um hacker que invadiu o celular de Marcela Temer.

O impedimento foi orquestrado por Michel Temer.

A razão pela qual não derramo uma única lágrima é que a Globo e a Folha contribuíram brutalmente para colocar Temer no poder.

Inventaram o Temer na versão presidencial, com o vandalismo de seu jornalismo de guerra, e agora tratem de aguentá-lo.

Se conheço os bastidores do universo das empresas jornalísticas, presumo que Temer encontrará alguma forma de agradar Folha e Globo. Mais verba publicitária é uma das possibilidades de agrado.

Temer vem fazendo seu habitual papel ridículo no episódio. A um jornalista da Folha que lhe perguntou sobre a censura, ele respondeu: “Não houve isso. Você sabe que não houve.”

Quer dizer: Temer não apenas censurou como conseguiu dizer que não houve censura. Sequer citou a palavra.

Me pergunto aqui como reagiu — se é que reagiu — o jornalista da Folha diante da resposta de Temer.

Num mundo menos imperfeito, a conversa não terminaria com a tergiversação descarada de Temer. O repórter retrucaria. Outros repórteres — havia outros jornalistas no local — questionariam também Temer como soldados da liberdade de expressão.

Mas jornalismo combativo, na República da Chalana Champagne, só existe quando o alvo dos ataques é o PT.

Quanto a Marcela, o pivô do escândalo, você sente vontade de gargalhar quando lembra uma capa recente da Veja. Nela, a revista afirmou que Marcela — pela graça e beleza — era a “aposta” de Temer para 2017 para melhorar sua imagem.

É ou não é uma piada a República da Chalana Champagne?

Anônimo disse...



Todos os envolvidos neste episódio, estão protegidos pela Lei de Gerson.

Anônimo disse...

os meus corruptos de estimação e do meu PMDBosta, deixa que eu escondo,..os outros, bom tem que irem para guilhotina, que hipocrisia.....

Anônimo disse...

O Judiciário teve PLENO ACESSO a todas as conversas do BANDIDO com a VÍTIMA!!

Se houvesse qualquer menção a eventual crime praticado por Temer ou outra pessoa ligada a Marcela, os fatos seriam certamente investigados!!

Porém, como o magistrado não viu nada de interesse público nessas mensagens, optou, acertadamente, por PROTEGER A VÍTIMA, que de outro modo teria sua intimidade devassada pela Folha do PT!!


Anônimo disse...

É, te cuida editor... logo, logo fecham as tuas portas também!!

Anônimo disse...

Sinto cheiro de chifre queimado.

Sérgio Antonello disse...

A lei vale para alguns, a Censura para outros e assim por diante. Esse precedente pode fechar a imprensa. A Nação está à deriva.