Câmara recua e não vota projeto que blinda políticos e partidos pelo uso do caixa 2

Por conta da repercussão negativa, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), recuou e disse ontem que o plenário não votará o trecho do projeto de Lei que retira poder de fiscalização e de punição do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em relação às siglas políticas.

O parlamentar assegurou que o único trecho da proposta que será votado é o que permite os partidos de manterem comissões provisórias por tempo indeterminado.