Bancada ruralista no Congresso quer derrubar MPs do governo

A bancada ruralista, que reúne um dos maiores grupos no Congresso, empossa nesta terça-feira sua nova direção, com o objetivo de derrubar o "bônus eficiência" adotado pelo governo para aumentar salários de fiscais do Trabalho e da Receita.

Essa será uma das principais pautas que irão marcar a posse do deputado Nilson Leitão (PSDB-MT) como presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária. Eles irão também defender projetos polêmicos, como novas regras trabalhistas para o campo e no licenciamento ambiental.

O alvo da Frente é a edição de portarias ministeriais editadas com base no conteúdo da Medida Provisória 765/2016. Além de aumentar os salários de oito categorias de servidores públicos federais, a MP cria o bônus, que é considerado como um incentivo à indústria da multa.

3 comentários:

Anônimo disse...

A pauta está absolutamente correta. É imoral o tal bônus, e as regras trabalhistas e ambientais são inadequadas ao agro-negócio. Não se trata de defender normas prejudiciais, apenas flexibilizar para ater-se as peculiaridades da atividade. Na área ambiental, bem, ali a regra é complicar para atrapalhar. Os ambientalistas morreriam todos de fome se precisassem sustentar-se com o trabalho, nas condições que propugnam.

Anônimo disse...

Ou seja, o objetivo é continuar a evitar a fiscalização do trabalho escravo. Muitas empresas grandes contratam terceiros, sendo que esses últimos, usam trabalhos escravos.

Anônimo disse...



A turma é grande mesmo, todo o politico tem fazendas, nem sempre em seu próprio nome.
Daí que eles aprovam qualquer coisa que os beneficie, independente de partidos.