Artigo, Luís Milman - A Ideologia da destruição

As catástrofes políticas, sociais e econômicas que caracterizam todos os regimes comunistas estão delineadas nos escritos de Marx. Porém, o marxismo não é uma doutrina insepulta, mas uma forma de religião ativa que provoca um pandemônio cognitivo, inviabiliza o senso crítico e devasta os padrões morais do sujeito que adere a ele. Para Marx, a força das ideias era puramente destrutiva e seus efeitos deveriam ser sentidos em todos os aspectos da vida: destruir a economia de trocas livres, devastar a noção de indivíduo, destroçar as formas de organização política e social, pulverizar os costumes e a religião. Tudo está ao alcance do mainstream ideológico marxista, que o crente no materialismo dialético passa a professar depois de ter se convertido a esta confissão.

Os regimes marxistas ruíram na Europa depois de quase um século de opressão e miséria. Sua vertente catocomunista da Teologia da Libertação impregnou, no entanto, a Igreja da América Latina e penetrou na política partidária do continente, com a ajuda da Universidade e de intelectuais devotados à causa, como os seguidores dos frankfurteanos, dos pós-modernistas e dos descontrucionistas. 

CLIQUE AQUI para ler tudo.

11 comentários:

Anônimo disse...

Escola sem partido já.
P. Mass

Anônimo disse...

Artigo certeiro no diagnostico dos motivis de estarmos dançando à beira do abismo.

Unknown disse...

Esta é a pior herança do populismo comunista que se infiltrou e instalou no Brasil e na América Latina!!!
É lavagem cerebral de mentes privilegiadas...
Solução??? Duas:
-Ou um soluço grande(solução);
-Ou o velho ditado gaúcho: "Cachorro que come ovelha só matando prá parar"!!!

Anônimo disse...

É preciso ter cuidado com certas 'opiniõezinhas', pois 'O Capital', antes de ser uma obra ideológica, é uma obra analítica da produção econômica. Isto é, para ser um empresário que domina o seu negócio, é preciso conhecer e entender 'O Capital'. Observe que se Marx estivesse preocupado apenas com a ideologia, essa obra chamar-se-ia 'O Trabalho'.

Façanha, o advogado do povo disse...

Os judeus israelenses estão invadindo a Palestina, construindo moradias no território alheio. E o Túlio aqui, prolixo, destilando sociologia aprendida nos bancos anchietanos. Quem não sabe que o marxismo tem características de SEITA LAICA?

Anônimo disse...

Velha mídia agora denuncia excessos da Lava Jato e de Sérgio Moro:

9 de fevereiro de 2017 - Blog do esmael

A Folha de S. Paulo e o Estadão, nesta quinta (9), detonam os procuradores e a Lava Jato. A primeira acolhe opinião de Eduardo Cunha, que fuzila Sérgio Moro; o segundo, denuncia o caráter antidemocrático da força-tarefa.

Tardiamente, os jornalões se pronunciam quando os seus começaram a cair. Mas eles têm razão. Vamos ao que eles dizem:
O Estadão abriu fogo contra o caráter autoritário da Lava Jato e cobrou posição firme da OAB.

Para o Estadão, a opinião de procuradores do MPF, como a de Deltan Dallagnol, fere o Estado Democrático de Direito e não representa a instituição.

O procurador defende a condenação de uma pessoa mesmo que paire alguma dúvida se de fato ela cometeu o crime do qual é acusada.

Já a Folha cedeu hoje espaço opinativo para Eduardo Cunha defender-se. Sobrou para o juiz Sérgio Moro.

O ex-presidente da Câmara acusa Moro de transformar a carceragem da PF em Curitiba num “hotel de delação” da Lava Jato.

Cunha detona o instituto da prisão provisória com regra, pois, segundo ele, representa uma antecipação de pena, sem condenação.
O ex-deputado classificou como espetáculo deprimente da denúncia contra o ex-presidente Lula.

Ao final, Eduardo Cunha retoma a discussão da lei contra abuso dos juízes. (...)

Anônimo disse...

Anonimo 09:34 sorry mas esta equivocado. A obra de karl marx nao traz nenhum beneficio a qquer pessoa que queira produzir algo, tal como empresario no seu exemplo. Trata-se de uma serie de observacoes estapafurdias contestadas N vezes por gnete como Mises, Hayek etc. e que na pratica somente produziu destruicao, morte e desgraca.

marxismo eh lixo puro, adorado apenas em rincoes atrasados dessa america latrina.

Realista disse...

BRILHANTE
Muito bem colocado sobre a religião marxista.
A BÍBLIA e o EVANGELHO DO CRISTO, mais as compilações seguintes nos deixam notar claramente que há um código de conduta para nós humanos em constante evolução, a linguagem universal, consubstanciada na frase SÓ O AMOR CONSTRÓI.
A linguagem que os citados praticam é a da destruição, do cultivo de vícios, do primitivismo e de outras aberrações. Seguem o caminho da porta larga, apenas!
É muito triste. Para essas criaturas o "diabo veste Prada", só olham para isto, mas fecham os olhos para o rabo que o tal não consegue esconder.

Anônimo disse...

Diagnostico muito claro e corajoso colocando os pingos nos is. A leitura ou pelo menos o conhecimento das partes mais importantes do Livro Capital de Marx sem duvida é valida para a melhor compreensão do sistema capitalista que também tem suas falhas e pontos debeis. A democracia entretanto não pode ser desconstruida por grupos de mentecaptos que sofreram lavagem cerebral, por ainda ser o sistema de governo menos ruim. É importante a divulgação deste tipo de materia com denuncias corajosas como esta. Pena que a população e principalmente os jovens não tenham mais o habito da leitura.

Anônimo disse...

A esquerda destruiu o país e os países onde tentou se implantar o comunismo. Marxismo não presta e nunca prestou. Todos viram escravos de um estado dominador e ditatorial. A elite vermelha bolivariana dos desgovernos corruptos de Lula é Dilma caminhava para isso, felizmente o povo diz não é afastou os corruptos.

Anônimo disse...

Brilhante artigo.

Carlos Beschorner