quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Artigo, Humberto Trezzi, Zero Hora - Quando o comando apoia a greve

Neste artigo que publica hoje no jornal Zedro Hora, o repórter Humberto Trezzi fala sobre o vídeo da entrevista de um comandante da PM do Espírito Santo, que em vez de prender seus subordinados rebelados, incentiva-os a continuar desafiando a lei e punindo o povo que paga seus salários. Leia tudo:

Acabo de ver um vídeo. Nele, um policial militar fardado (foto ao lado) saúda como "legítimo e necessário" o movimento que deixou de joelhos a segurança pública no Espírito Santo. Ele ressalta que os PMs estão há três anos sem aumento, que cabos e soldados passam necessidades e chama de "guerreiras" dignas de aplauso as mulheres dos policiais, que bloqueiam os quartéis e impedem o patrulhamento das ruas.Seria natural ouvir isso de um grevista. Só que o homem que justificou a greve é o tenente-coronel Alexandre Quintino, comandante da PM no sul do Espírito Santo, sediado em Cachoeiro do Itapemirim, uma das mais importantes cidades capixabas. Aquela que ficou famosa como berço do cantor Roberto Carlos.

Quando um integrante do alto escalão da Polícia Militar justifica a greve e aplaude os que trancam quartéis é possível ter uma ideia da dimensão que o movimento paredista alcançou. Ao invés de ordenar a prisão dos subordinados que se recusam a trabalhar, ele apoia a paralisação. Pelo menos, no discurso.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

10 comentários:

Unknown disse...

Sem noção!!!
Como a grande maioria das autoridades constituídas da nação, independentemente de hierarquia ou esfera de governo, não tem a mínima consciência de seu papel no Estado e de suas responsabilidades!!!

Anônimo disse...

E a Policia Federal esta a quantos anos sem aumento?
Isso tudo é armação contra o povo!!

Anônimo disse...

Essas greves em geral são bem coordenadas dentro e fora da instituição. Eu já vi greves iguais acontecendo no Ceará e na Bahia nos últimos 10 anos pelo menos e todas tinham interesse político por trás. No Ceará um dos líderes da greve da PM era oposição ao governo e depois virou candidato a prefeito da capital em 2016 e já anunciaram que ele poderá se candidatar a governador do estado em 2018. Há um tempo atrás na Bahia teve uma greve parecida acontecendo na mesma época da greve dos bombeiros do Rio de Janeiro. Na época tinha denúncias que as greves nos 2 estados eram coordenados. Assim como esses rebeliões em presídios acontecendo do nada, assim como os ataques do PCC em 2006. Muitos policiais conhecem muitos maginais e quando fazem greve alguns mandam os marginais fazerem badernas e implantarem o caos para causar desordem.

Na Venezuela quando os bolivarianos eram oposição eles faziam isso. Colocavam Policiais, Militares e várias classes em greve e baderna para desestabilizar os governos de opositores. Depois que derrubam, são eleitos e param tudo. Quando perdem o poder voltam a fazer baderna.

Não foram isso que fizeram essa turma no século XX? Derrubaram todo mundo que estava no poder até pouco tempo atrás? Diretas Já em 1984? Caras Pintadas em 1992? Manifestações do "fora FMI" nos anos 90? Nos anos 2000 quando os PT tomou o poder eu vi várias manifestações de classe sumirem, só tinha manifestação civil do povo insatisfeito. Depois que o PT caiu nos últimos anos voltou a aparecer a turma da baderna encher o saco como Passe Livre, Mídia Ninja, Black Blocks e etc.

Emmanuel Carlos disse...

Pois é .... a população é refém de policiais e de bandidos.

Mordaz disse...

É a herança maldita do PT ao país.

Anônimo disse...

Falta espírito público nesse cidadão. Talvez tenha virado militar por conta de estabilidade no emprego e outras garantias. Meu pai era funcionário público "barnabé", nunca entrou em greve pois dizia que se quisesse ganhar mais, deveria largar o serviço público e procurar ganhar mais na iniciativa privada. Infelizmente, restaram poucos da geração dele. Hoje o pessoal vira funcionário público atrás de vantagens.

Anônimo disse...

É o processo de desmilitarização das polícias militares dos estados federativos.
Não observei, até o presente momento, um jornalista sequer da mídia esquerdinha elaborar uma reportagem sobre as causas de alguns governantes - via de regra petistas ou peemedebistas - dos estados em crise de segurança não pagarem seus policiais. Algum jornalista investigou o destino final da verba orçamentária específica para esse fim?
Não leio a mesma indignação e revolta dos probos jornalistas pedindo a imediata destituição desses governantes oportunistas e a soldo dos mantenedores do Foro de São Paulo por incompetência administrativa e gerencial do respectivo ente federativo.
Em breve teremos os SINDICATOS dirigindo as PM, sob o chicote do Estado Policialesco, como a STASI, a KGB e a NAZI.
Lobão assumirá a CCJ do Senado. Gleisi é a nova Líder do PT. Fachin relator da Lava Jato no STF. Acabou de vez o Brasil. Os bandidos venceram!
























Anônimo disse...

MÍDIA ESTÁ OMITINDO SISTEMATICAMENTE O NOME DO GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO E TAMBÉM O PARTIDO AO QUAL ESTÁ FILIADO!!!

Anônimo disse...

POR ISSO E OUTRAS, O POVO DEVE SE DEFENDER COM ARMAS PRÓPRIAS. ARMAMENTO JÁ. SE AS PESSOAS ESTIVESSEM ARMADAS EM GRANDE PARTE, NESSAS HORAS DE GREVE POLICIAL, OS BANDIDOS IRIAM PENSAR 10 VEZES MAIS EM DECIDIR ASSALTAR!

Ariel Peres disse...

motim! motim! essa essa é a definiçao que classifica o comportamente desses militares ou, deixem de ser militares e passem a ser, por exemplo professor; estes sim, gostam e podem; idem garias; podem......
vocês já viram greve de deputados, vereadores e senadores.....esses podem mas jamais farão!!!!!!