Sartori insiste com seu pacote de venda das estatais

O governador Ivo Sartori já bateu o martelo e quer que as 11 matérias restantes do pacote enviado para a Assembléia e que ficaram suspensas pela falta de quórum, vá a votação na sessão da próxima terça-feira, dia 7 de fevereiro. Os deputados da base aliada vão implementar tudo, mesmo sob a presidência de Edegar Pretto (PT), que assume o comando da Assembleia nesta terça-feira.

Os projetos que autorizam a venda da CEEE, CRM e Sulgás estarão em votação. O Banrisul não está em pauta.

O governo precisa da aprovação dos projetos para levar adiante a negociação de novo empréstimo e alongamento do prazo para pagamento da atual dívida com a União.

Do pacote de Sartori, ficaram para este ano dois projetos de lei (PL), dois projetos de lei complementar (PLC) e sete propostas de emenda à Constituição (PEC), entre as quais figuram a PEC que converte a licença-prêmio dos servidores em licença capacitação; a que modifica a data de pagamento dos salários para até dia 20 do mês seguinte; a que permite ao governo pagar o 13º salário até o mês de novembro do próximo ano.

5 comentários:

Anônimo disse...


O Polenta e seus asseclas, são mesmo patéticos.

Estas vendas interessam apenas aos grandes empresários.

O governo vai ter que absorver boa parte dos funcionários e gastar com indenizações trabalhistas.

Só não privatiza a segurança pública, porque está um caos, mas se pudessem o fariam.

Em meio as polemicas medidas, pergunta-se;

-Porque a função de politico, não é privatizada?

Contrataria-se um empresa de gestão, que faria o serviço por um décimo do preço.

Anônimo disse...

Bom dia,
Suspeito que o Gringo não tenha o voto para aprovar suas PECs, fim melancólico do Britto Jr.

Anônimo disse...

Pois que continue insistindo.

Anônimo disse...

Sartori seja esperto bota o Banrisul no pacote e faz a troca ou seja; aprovem o resto que eu salvo o Banrisul...

Joel

Anônimo disse...

Achei que esses projetos seriam abortados, pelo visto esperaram os sindicatos desmobilizarem e acertaram o com Adão Preto a pauta das próxima semana, o governo foi esperto nessa, pois agora tem um voto a mais, da Covatti.