Renato Duque, ex-diretor da Petrobrás, diz que corrompeu Nardes com R$ 1 milhão

A foto é de Rodrigues Pozzobom, Agência Brasil.

O ex-diretor da Petrobras, Renato Duque, PT, preso em Curitiba, disse na negociação de sua delação premiada na Lava Jato que o ex-deputado gaúcho Augusto Nardes, ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), recebeu R$ 1 milhão entre 2011 e 2012 para não criar empecilhos em procedimentos contratuais de uma plataforma, de acordo com o jornal Folha de S. Paulo. Em anexo que integra a proposta de acordo, Duque relata, segundo o jornal apurou com pessoas ligadas à investigação, que se reuniu com Nardes em um jantar na casa do ministro para acertar o pagamento. No encontro, chegaram ao montante de R$ 1 milhão, que corresponderia a um percentual do contrato.

Ainda segundo a publicação, os valores, segundo o ex-diretor da Petrobras, foram repassados por Pedro Barusco, na época gerente de Serviços da estatal e braço direito de Duque.O dinheiro teria sido direcionado a uma pessoa ligada a Nardes responsável por repassar a ele o valor, segundo o ex-dirigente da Petrobras.

Essa não é a primeira vez que o ministro do TCU é alvo de uma delação premiada. Nardes foi o relator da denúncia sobre Pedaladas Fiscais, que levou à cassação de Dilma.


Procurado pela reportagem, o ministro Augusto Nardes afirmou que não procedem as informações da negociação do ex-diretor da Petrobras Renato Duque. "Nunca recebi o Duque em minha casa", disse ele sobre o suposto encontro com o executivo para tratar de pagamento ilícito. "O condenei em processos do TCU. Deve ser vingança", concluiu o ministro.

6 comentários:

sempre mais disse...

Ninguém conhece mais os seu pares! Nunca conversaram! Deus, ajude o povo brasileiro. Somos roubados 24hs por dia. Enquanto dormimos, eles metem a mão no dinheiro público. Mas isto tem um chefe!

Anônimo disse...

Bom dia,
Quanta novidade, Nardes era ou é PP , Partido Petrolão nenhuma surpresa.

Anônimo disse...

É verdade, deve ser vingança..................

Anônimo disse...

Sempre desconfiei das bombachas!

Anônimo disse...


Daqui a pouco aparece uma testemunha dos encontros, e o nobre acusado vai lembrar-se de alguma coisa.

Altos salários recebidos por importantes ocupantes de cargos públicos, eram justificados como forma de serem incorruptíveis, algo que na pratica não funciona.
O correto seria reduzir tais salários, uma vez que o país está sem grana e os caras continuam enchendo os bolsos.

Anônimo disse...

RENATO DUQUE ERA BRAÇO DIREITO DO MOLUSCO- TUDO EM CASA