Opinião do editor - Família alguma merece recompensa pela prisão ou morte dos seus bandidos

O governo do Amazonas anunciou que vai indenizar (R$ 150 mil por cabeça) as famílias dos 56 bandidos mortos no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus (AM). O governador José Melo mandou pagar todo mundo. Ele cumpre dispositivos da Constituição Federal e decisões do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) e Supremo Tribunal Federal (STF).
O artigo da Constituição e a jurisprudência do STF, funcionam como acinte e abuso claro. Ambos são inaceitáveis diante da realidade brasileira.
O mesmo vale para o chamado auxílio-reclusão, que garante salários de até R$ 1 mil mensais para as famílias dos bandidos presos. CLIQUE AQUI para examinar as 10 razões que criticam este abono imoral.
Além do que recebem as famílias - auxílio-reclusão e indenização em caso de morte -  cada preso custa R$ 3.800,00 mensais para a manutenção dele na cadeia.O dinheiro sai dos bolsos dos contribuintes, inclusive vítimas do preso
É preciso mudar tudo isto e privilegiar os interesses gerais da sociedade brasileira - das pessoas de bem. Quando são vítimas dos bandidos, estas nem sequer recebem um telefonema de solidariedade.
A Constituição e a jurisprudência precisam mudar para endurecer com os bandidos.
Boa inspiração para a mudança é a legislação penal chinesa, que cobra da família de bandidos celerados até mesmo a bala que é enfiada na cabeça deles em praça pública, toda vez que seus soldados executam grupos inteiros, conforme o próprio editor viu em Pequim mais de uma vez. 
A pena de morte não deve ser tolerada privadamente, como aconteceu em Manaus, mas pode e deve ser implantada oficialmente no Brasil - e muito rapidamente.