O problema não é Rogério Rios, mas seu chefe, Nelson Marchezan Júnior

É possível que muita gente não tenha entendido o conteúdo da nota que o editor postou sobre o retorno de Rogério Rios para a secretaria municipal da Fazenda, depois de ter integrado o governo do prefeito José Fortunati. O editor não criticou Rios, mas o prefeito Marchezan Júnior, que durante a campanha empunhou a bandeira da total renovação de quadros de livre nomeação, mas sobretudo endereçou críticas ferozes à administração das finanças municipais, que na época estava sob o comando do seu atual ungido.

Esta tarde, a SMF mandou esta nota para o editor:

A secretaria municipal da Fazenda, Porto Alegre, informou ao editor que o novo secretário-adjunto da Secretaria Municipal da Fazenda (SMF), Rogério Rios, foi convidado pelo secretário Leonardo Busatto, com o aval do prefeito Nelson Marchezan, para retornar à SMF. Ele foi o primeiro nome a integrar o banco de talentos da prefeitura, e no seu currículo consta a prestação de 38 anos de serviço público, no Município e no Estado. Rogério Rios é formado em Administração de Empresas e em Administração Pública. Foi coordenador técnico da Secretaria Municipal da Fazenda, e atuou na Secretaria Estadual da Fazenda, na Caixa Estadual, na Junta de Coordenação Financeira do Estado e, recentemente na Secretaria Estadual de Planejamento.