sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Morreu Jayme Copstein, 89 anos.

Este programa, realizado por Jayme no outono da sua vida, projetou-o em todo o País. Nas últimas 72 horas, morreram três conhecidos jornalistas gaúchos: Adroaldo Streck, Sampaio e Copstein . 

Morreu esta tarde o jornalista gaúcho Jayme Copstein. Ele estava internado na Santa Casa de Misericórdia em Porto Alegre. Natural de Rio Grande, RS,  Jayme Copstein era graduado em odontologia, exerceu a profissão, mas era do jornalismo que gostava. Ele atuou nos principais jornais e emissoras de rádio do Rio Grande do Sul. Conquistou vários prêmios de jornalismo, entre eles a Medalha de Prata no Festival Internacional de Rádio de Nova York.

O jornalista tinha 89 anos.

Jayme Copstein morreu no Pavilhão Pereira Filho. Ali ele se tratava de um câncer no pulmão. O jornalista fumava muito e acabou morrendo por insuficiência respiratória. 

A história do jornalista gaúcho, que se notabilizou quando trabalhou no Correio do Povo e depois na Rádio Gaúcha, é contada pelo também jornalista Felipe Vieira. CLIQUE AQUI para ler o blog de Vieira. 

16 comentários:

Anônimo disse...

Grande pessoa, conheci pessoalmente, é uma pena que os bons vão primeiro...

Anônimo disse...

Ficava acordado até tarde só para escutar seu programa.

Que vá em paz, cumpriu com honra seu papel de cidadão.

Anônimo disse...

Puxa vida, os bons tão indo embora? Eu ouvia o Jaime quando estava na Itália pelas ondas curtas e depois aqui, em São Jose dos Campos. Grande repórter.
Joel

Anônimo disse...

Lamentável a morte dele. RIP, Jayme Copstein. Saudades eternas.

Anônimo disse...

Depois da morte nada mais existe, mas bem que a Natureza poderia as vezes bular suas próprias Leis para pessoas como foi o Jayme Copstein.

godofredo disse...

Marcos Abreu
10 de janeiro às 12:35 ·

Meu amigo Jayme Copstein, me pede que transmita a vocês está mensagem:

Como sempre, eu gostaria de expressar a cada uma das pessoas que me manifestaram apreço quando fiz aniversário e solidariedade por meu estado de saúde.
Mas as palavras são poucas para uma gratidão que é muita e tem destinatários numerosos, equivalendo à tarefa interminável de contar as estrelas do céu.
Tudo o que lhes posso dizer é que me fizeram feliz, e mesmo dizendo isso, ainda fica tudo por se dizer, é
VIVA VOCÊS!!!!!

Façanha, o advogado do povo disse...

Inesquecíveis o Gaúcha na Madrugada, depois denominado Brasil na Madrugada.

Anônimo disse...

um grande jornalista, literalmente, fazia a gente perder o sono: muito bom seu programa de madrugada e era de uma educação incrível com os ouvintes no telefone, mesmo aqueles que falavam alguma bobagem. Lembro dele contando porque não discutia futebol: no primeiro programa que ele apresentou, disse que se sentiu em uma arquibancada debatendo com um ouvinte.

ATENTO disse...

O CÉU PEDE ESPERAR

Acordava a meia noite para escutar um pedaço do programa do Jaime, e a tradicional "CORTINA MUSICAL","O céu pode esperar",melodia belíssima e emocionante, uma PILULA DE EMOÇÂO EM FORMA DE MÚSICA

O céu esperou, e chamou...vai, Jaime,cumpriste tua missão,vai montando um programa por aí, que mais hora,menos hora seremos novamente teus ouvintes por aí,mas por enquanto, O céu pode nos esperar...

-QUÁC... QUÁC...QUÁC...

Anônimo disse...

Foi-se mais um grande amigo e um excelente ser humano. O conhecia desde o tempo em que ele trabalhava na redação do Correio do Povo original. Em minhas idas a Porto Alegre, várias vezes me convidava para almoçar, interessado em ouvir novidades da sua cidade de Rio Grande. Mais tarde, como rio-grandino e um dos professores fundadores do Curso de Oceanologia da FURG, colaborei em diversas oportunidades com o seu programa Gaúcha na Madrugada. Grande Jayme, descanse em Paz !

Anônimo disse...

Quando estudei em POA, entre 1989 e 1994, o Gaúcha na Madrugada capitaneado por Jayme Copstein, foi um grande companheiro nos intervalos dos estudos que varavam a madrugada. Grande homem e profissional. Meus sinceros sentimentos aos familiares e um eterno agradecimento a esse grande cidadão...

Anônimo disse...


O melhor radialista que eu escutei na minha vida, me fez gostar do rádio na madrugada, quando estava trabalhando,sempre atualizado com os mais variados assuntos.
Jayme Copstein. Saudades eternas.

BACARIA

Artur Alves da Motta disse...

Muito ouvi Jaime Copstein em MS pois o sinal da Gaúcha chegava muito bem nas noites e madrugadas

Luiz Antônio disse...

Saudades!!!
Daqui do interior paulista ouvia seu programa nas madrugadas quando ajudava meu pai em seu trabalho na olaria.
Uma companhia agradável para aquele trabalho solitário nas madrugadas adentro.
Fique com Deus.



maria tomaselli disse...

Que bonito

maria tomaselli disse...

Que bonita despedida