sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Massoterapeuta, "cigana de partida", estava com a mãe no avião que matou Teori Zavascki

A mídia brasileira só levantou os nomes das duas mulheres que morreram no mesmo avião tripulado pelo ministro Teori Zavascki no início desta tarde. Foi uma demora inexplicável.

As duas mulheres mortas foram Maíra Lidiane Panas Helatczuk, 23 anos, e a mãe, Maria Hilda Panas, 55 anos.

Maíra Lidiane era massoteraeuta e estaria tratando o dono do Hotel Emiliano, Carlos Alberto Filgueiras, tendo viajado a convite dele.

O Corpo de Bombeiros resgatou nesta manhã os dois últimos dois corpos que estavam presos à fuselagem do avião. Entre eles, estava uma das mulheres, além do piloto Osmar Rodrigues. A outra havia sido retirada mais cedo. 

Segundo uma amiga, a advogada Janaína Braga de Almeida Guarienti, Maíra, além de massoterapeuta, era professora de dança e estava cursando Fisioterapia na capital paulista. Já Maria Ilda, que era natural do município paranaense de Guarapuava, ainda morava em Juína (MT). 

Em seu perfil no Facebook, Maíra publicou uma foto em Juína no dia 30 de dezembro de 2016. Na publicação, fala do espírito livre que tinha, como os amigos a descrevem na rede social:

- (...) Sou cigana de partida, nunca de chegada. Meu único planejamento será não planejar. Porque quando sei exatamente o que fazer ou onde ir , faço o oposto. Sou de começo e fim, não de durante. Eu aceito que pessoas sejam presentes ou passageiras na minha vida. Pois não existe a escolha para quem entra ou sai. A Vida é continuidade. Não tenho o direito de me apegar ou me despedir, porque também não sou mais do que mera alma seguindo para qualquer lugar no mundo. Não posso ser bagagem para ninguém. E não possuo tanta força para carregar bagagens acumuladas. Preciso me adaptar e andar assim, somente com o que couber nos bolsos e na Lembrança".



8 comentários:

Emmanuel Carlos disse...

Bem ... não entendi quem é "Kelli", mas é o típico negócio de "fakebook" ...

Unknown disse...

Belo texto!!!

Anônimo disse...

Zaleviski, Zavaski, Roger Agnelli, Eduardo Campos, etc. etc. afinal, algum caso de morte é esclarecido no Brasil? Precisamos de muitos Juizes Sérgios Moros e muitos jornalistas Sérgios Moros, médicos e legistas Sérgios Moros, enfim, muitos profissionais e brasileiros Sérgios Moros. Ou todo o otimismo do Políbio será apenas otimismo de poliana... Estamos entrando na guerra civil e ainda tem gente otimista. Ouçam uma análise séria no link abaixo:

https://soundcloud.com/rvox_org/a-tragica-morte-de-teori-zavascki-e-o-futuro-da-lava-jato-19012017

Anônimo disse...

Na escolinha do professor Raimundo poderia se dizer que o aluno Emiliano
"sem o menor interesse" estava se cacifando com seu professor.

sempre mais disse...

Foi. Partiu!

Anônimo disse...

Dá para ouvir a música de fundo??
A luz do cabaré
Já se apagou em mim......

Rudy Boger disse...

A Rádio Band informou hoje bem cedo a identidade das duas. Eu ouvi!

Anônimo disse...

Fico imaginando o que essa massoterapeuta gostava de "manipular com as mãos"!!! Talvez seria a rebimboca da parafuseta do empresário e do ancião ministro? KKKKKK.