Leia o que os Panama Papers revelam sobre esquema de Cabral no exterior

O jornalistaAndré Shalders conta hoje no blog Poder360 que os doleiros que delataram todo o esquema do ex-governador Sérgio Cabral, podem ter omitido uma offshore. O blog também revela a íntegra dos documentos recolhidos pela Opweração Eficiência, que entre outras coisas, ontem, resultou na decretação da prisão de Eike Batista.

Leia tudo a seguir:

A operação Eficiência, deflagrada ontem (26.jan), baseia-se na delação premiada de 2 doleiros: Marcelo Hasson Chebar e seu irmão, Renato. Os arquivos dos Panama Papers confirmam parte da delação dos Chebars e mostram que eles podem ter escondido pelo menos uma offshore dos investigadores da Lava Jato.

Cabral começou a trabalhar com Marcelo, e depois com Renato Chebar, em 2003. Até 2014, eles teriam ajudado o político a mandar para o exterior e esconder mais de US$ 100 milhões, por meio do sistema dólar-cabo. O ex-governador do Rio pagava aos doleiros em reais, no Brasil, e estes depositavam o valor correspondente em dólares, no exterior. O dinheiro, segundo o MPF, vinha da cobrança de 5% de propina de fornecedores contratados pelo governo do Estado do Rio.Para manusear, converter e guardar o dinheiro de Cabral, Marcelo e Renato criaram uma estrutura com pelo menos 9 empresas offshores sediadas em paraísos fiscais, como mostra a imagem abaixo, retirada do relatório do MPF:

CLIQUE AQUI para ler tudo.

3 comentários:

Anônimo disse...

PARTIDO POLÍTICO DO EX-GOVERNADOR É SISTEMATICAMENTE OMITIDO!

MAS SE ELE FOSSE DO PT...

O mais interessante de tudo é que o partido político ao qual pertence o ex-governador não aparece com destaque nas manchetes!

Anônimo disse...

Só que ele era queridinho do PT e vice versa. Que apodreça na cadeia.

Anônimo disse...

Como notou o cidadão das 15:49, o cabral era mais íntimo e "amigo" da cúpula petralha que qualquer outro do partido no RJ. Agora se sabe o motivo. Era da mesma CORJA DE LARÁPIOS.