Jungmann vai fechar acordos sobre segurança na fronteira com ministro colombiano


O ministro da Defesa do Brasil, Raul Jungmann,  anunciou hoje que se reunirá com o ministro da Defesa e comandantes das Forças Armadas da Colômbia na próxima terça-feira (31), em Manaus. A intenção é fechar acordos de trabalho conjunto entre os dois países, para  ações de inteligência e de combate ao tráfico de armas e drogas.

Jungmann mostrou-se preocupado com a permanente entrada de armas e munições pela divisa da Colômbia. Segundo ele, a maior parte são oriundas de dissidentes da guerrilha colombiana As Farc. “Há uma preocupação sobre a entrada dessas armas no Brasil. Existem  dissidentes das Farc que não estão dispostos a entrar nesse processo de paz, e há um temor, justificado ou não, de que parte desse arsenal possa migrar para as nossas cidades”, afirmou o ministro.

6 comentários:

Anônimo disse...

com quem?

kkkkkkk...

agora vai...

Anônimo disse...

Sim e na fronteira do com Argentina e el Uruguay?

Anônimo disse...

Uma maquina de CNC importada da China custa R$ 38.000,00. a mesma maquina produzida no Brasil custa R$ 45.000,00, dos quais 18.00 são impostos. Sr fosse baixado 20% a maquina custaria aqui 41,000. por 3 mil de diferença e pela qualidade e pela logística ninguém importaria da China.

Joel

Anônimo disse...

A fronteira com a Bolívia tem que ser vigiada com todo o rigor possível, o cocaleiro amigo de Lula só manda drogas para cá!

Unknown disse...

Começar do zero... em terra de cego quem tem um olho é rei... nos ajude, Colômbia!!!

Justiniano disse...


Vamos colocar o exército a vigiar todas as fronteiras, não tem unidades em todas as cidades fronteiriças do Brasil.

Vamos dar uma ocupação para esse pessoal que fica no quartel o dia inteiro fazendo o que???

Isso não se caracteriza como segurança nacional, portanto é função das forças armadas garantir a vigilância das fronteiras.

Algo que acho muito estranho é que tem muitos coronéis e majores donos de fazendas no MS e MT (com salário do exército é que não construíram esses patrimônios). Estados estes que tem extensas fronteiras com países vizinhos.